Apontado como líder do tráfico é absolvido por falta de provas

Apontado pela Polícia Civil como líder do tráfico nos bairros Jardim Santa Antonieta e Marina Moretti, ambos na zona Norte, o motorista Alex Carlos Gomes, o “Playboy”, foi absolvido pela Justiça de Marília por insuficiência de provas. A sentença com sete páginas assinada pelo juiz da 1ª Vara Criminal de Marília, José Augusto Franca Junior, não acolheu o pedido do Ministério Público (MP), que pedia

Apontado pela Polícia Civil como líder do tráfico nos bairros Jardim Santa Antonieta e Marina Moretti, ambos na zona Norte, o motorista Alex Carlos Gomes, o “Playboy”, foi absolvido pela Justiça de Marília por insuficiência de provas.

A sentença com sete páginas assinada pelo juiz da 1ª Vara Criminal de Marília, José Augusto Franca Junior, não acolheu o pedido do Ministério Público (MP), que pedia a condenação pelo crime de tráfico de entorpecentes e acatou a argumentação do advogado Luiz Fernando Marques Gomes de Oliveira, que sustentou insuficiência de provas.

“Não há prova segura acerca da correlação entre Alex e as substâncias apreendidas. Consoante vários depoimentos colhidos em Juízo, restou bem delineado que o local onde ocorreu a diligência é conhecido ponto de traficância, bem como é um terreno de fácil acesso. No mais, cumpre destacar que Alex não foi surpreendido nas proximidades e não é proprietário ou possuidor do imóvel”, afirmou.

No final da sentença, o magistrado expediu alvará de soltura para “Playboy”, que estava preso desde o mês de agosto.

Caso – Segundo a Polícia Civil, a investigação teve início em janeiro após policiais militares apreenderem 26 tijolos de maconha e outros nove de cocaína enterrados num matagal no fim da rua Arnaldo Spachi, no bairro Marina Moretti, na zona Norte da cidade.

“Ele já era investigado há algum tempo após algumas apreensões em que foi citado como envolvido. Ficou apurado que essa grande quantidade de drogas apreendidas pela PM pertencia a Playboy”, disse o delegado Flávio Therezo Rodrigues.

Playboy é acusado de comandar o tráfico de entorpecentes em bairros da zona Norte. “Ele tinha um papel de liderança do tráfico e dificilmente colocava a mão nas drogas. Playboy comandava diversas biqueiras de drogas no Jardim Santa Antonieta e no Marina Moretti”, finalizou Rodrigues.