Vereadores aprovam orçamento do município para o próximo ano

Entre os investimentos previstos por emendas estão a construção de Emei no Jardim Flamingo, pistas de cooper e reformas de centros esportivos

Os vereadores aprovaram por unanimidade o orçamento geral do município de R$ 925 milhões para o próximo ano, em sessão ordinária, ontem (4). As emendas ratificadas junto com a peça orçamentária trazem a previsão de investimentos na educação, na saúde, em opções de esportes e lazer, além de pavimentação asfáltica.

A construção de Emei (Escola Municipal de Educação Infantil) no valor de R$ 800 mil, no Jardim Flamingo, na zona oeste, está no orçamento do exercício financeiro de 2018.

A implantação do Plano Municipal de Cultura vai custar R$ 500 mil. Sistema viário e alargamento da avenida Ermelinda Clarice Sanches Casarini, entre a rua Amador Bueno e o Jardim Cavallari também está entre os investimentos, assim como a interligação da avenida Dr. Hércules Galetti até a rua Dr. Joaquim de Abreu Sampaio Vidal, no valor de R$ 200 mil cada obra.

A reforma do Poliesportivo da Vila Altaneira (zona leste) deverá custar R$ 300 mil. Ciclovias e ciclofaixas também deverão ser opções aos ciclistas da cidade. Pistas de cooper estarão sendo recuperadas e a criação de ecopontos para descarte de inservíveis e recicláveis também deve estar entre as ações da Prefeitura no ano vindouro.

O vereador Luiz Eduardo Nardi (PR) criticou a possibilidade de gastos de R$ 2,5 milhões em publicidade. “É muito dinheiro. Deveríamos ter melhor utilização dos recursos. Temos demandas mais importantes na saúde, na educação e também é preciso tratar com mais carinho o servidor público. Este ano tivemos o atraso de pagamento de aposentados e pensionistas, o que é inconcebível”.

O edil José Luiz Queiroz (PSDB) lembrou que dos R$ 925 milhões do orçamento geral do município, R$ 662 milhões são da Administração Direta. “Como a previsão era de R$ 580 milhões, tivemos um incremento importante nas receitas de Marília”.

Maiores orçamentos

A Saúde tem o maior orçamento entre as Pastas Municipais, com receitas previstas para o próximo ano de R$ 190,4 milhões. A Educação vem a seguir com R$ 167,7 milhões, Obras Públicas R$ 61,1 milhões, Administração R$ 61 milhões e Planejamento Econômico R$ 57,9 milhões.

Meio Ambiente e Limpeza Pública vai ficar com R$ 34,1 milhões, que serão utilizados principalmente para o transbordo e coleta do lixo, além de outras ações para garantir a capinação, poda de árvores e limpeza de áreas.

Menos verba

A Secretaria Municipal com menos recursos será a de Direitos Humanos, antiga Pasta da Juventude e Cidadania, com apenas R$ 774 mil. 

Gabinete e Procuradoria

Somente o gabinete do prefeito Daniel Alonso (PSDB) terá R$ 9,8 milhões à disposição. A Procuradoria Geral do Município vai ter mais R$ 4 milhões de receitas.

Administração Indireta

Na Administração Indireta, o Ipremm (Instituto de Previdência do Município de Marília) tem receita prevista de R$ 102,5 milhões, o Daem (Departamento de Água e Esgoto de Marília) de R$ 82,6 milhões, a Fumes (Fundação Municipal de ensino Superior de Marília) – uma das gestoras do Complexo Famema, tem orçamento de R$ 64,8 milhões, a Emdurb (Empresa Municipal de Mobilidade Urbana) aparece com R$ 14,2 milhões, sendo R$ 2,3 milhões do tesouro municipal. A Fumares (Fundação Municipal de Recuperação Social) ficará com R$ 2,1 milhões (entre recursos municipais, estaduais e federais).

A dedução de receita para formação do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação) é de R$ 46,7 milhões.Para a Câmara Municipal, vão ser destinados R$ 16,3 milhões. 

Redação final

Na sessão ordinária da próxima segunda-feira (11), última de 2017, será votada a redação final do orçamento geral do município. Durante o recesso, apenas sessões extraordinárias poderão ser convocadas.