Deputada federal Ana Perugini faz visita de trabalho e é recebida por coral na Apeoesp

A deputada federal do PT (Partido dos Trabalhadores) Ana Perugini fez visita de trabalho em Marília ontem (30). A parlamentar foi recebida pelo coral da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), falou de política nacional e ouviu as demandas regionais. “Me lembro que estive há alguns anos em Marília para tratar da questão dos moradores de rua. Fizemos o encaminh

A deputada federal do PT (Partido dos Trabalhadores) Ana Perugini fez visita de trabalho em Marília ontem (30). A parlamentar foi recebida pelo coral da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), falou de política nacional e ouviu as demandas regionais.

“Me lembro que estive há alguns anos em Marília para tratar da questão dos moradores de rua. Fizemos o encaminhamento para o governo federal, que tinha programas neste sentido”, salientou Perugini.

Sobre política nacional, a deputada disse que o governo tem a intenção de colocar em votação ainda esta semana a reforma da previdência. “Um absurdo que estamos presenciando é a isenção de tributos a empresas petrolíferas para explorar o Pré-Sal no Brasil. O prejuízo pela não arrecadação de impostos deve chegar a R$ 31 bilhões”.

A petista está confiante na disputa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na eleição do ano que vem. “Ele está liderando todas as pesquisas de intenção de voto. O Lula é a maior liderança política desse País. Vejo com preocupação o modo como as pessoas vêem a política. Por isso é importante este contato dos políticos com as pessoas, não apenas com promessas, mas sim com compromissos”.

O vice-presidente do PT em Marília e diretor da Apeoesp, Juvenal Aguiar, salientou que a deputada Ana Perugini muito fez pela educação. “A parlamentar teve uma atuação de destaque no Congresso nacional, sobretudo na elaboração do Plano Nacional da Educação, ajudando a colocar na lei a Meta 17, que garante ao professor o mesmo nível de salário de carreiras universitárias, o que daria 75% mais o que a categoria recebe hoje”.