Apenas seis clubes ainda não anunciaram técnico na Série A-3

Paulinho McLaren vai comandar o Barretos, rebaixado na Série A-2 deste ano

Faltam pouco mais de 60 dias para o início do Campeonato Paulista da Série A-3 (começa dia 17 de janeiro) e enquanto algumas agremiações já estão na pré-temporada, como é o caso do Noroeste e do Rio Branco, que deram o pontapé na preparação essa semana, alguns nem treinador ainda anunciaram. Seis clubes estão sem comandante: Capivariano, Mogi Mirim, Grêmio Osasco, Taboão da Serra, Manthiqueira (Guaratinguetá) e Portuguesa Santista.

Edson é o nome do técnico de três equipes. O Edson mais conhecido é o Vieira, que vai dirigir o São Carlos. Na Série A-3 deste ano levou o Rio Branco até as quartas de final, sendo eliminado pelo Nacional (o campeão). O time de Americana segue com Edson, mas o Fio, que comandou o clube na Copa Paulista. Já o Olímpia apostou em Edson Porto, campeão Amapaense com o Santos.

Quatro das agremiações rebaixadas da Série A-2 deste ano já contrataram seus treinadores. O Rio Preto acertou com Rodrigo Fonseca, que estava no Botafogo na Série C do Brasileiro. O Barretos também não perdeu tempo e anunciou Paulinho Mclaren (ex-Taubaté/Série A-2). O União Barbarense fechou com Claudemir Peixoto, que nesta temporada comandou o Andraus (2ª Divisão do Paraná) e o Penapolense (Copa Paulista). Já o Velo Clube trouxe Lelo, que dirigiu a Matonense em três rodadas da Série A-3 de 2017.

O clube de Matão contratou Dennio Dago, treinador conhecido no futebol carioca, já que fechou parceria com dois empresários do Rio de Janeiro, para disputar a competição. O Monte Azul apostou em José Francisco Oliveira, que chegou até as quartas de final da 4ª Divisão Paulista com o São José EC. O São Bernardo EC subiu da “Bezinha” com o vice-campeonato e manteve o treinador Ricardo Costa.

 

O Noroeste está com Tuca Guimarães, campeão da Série A-3 deste ano com o Nacional, enquanto que o Atibaia fechou com Betão Alcântara, vice-campeão desta mesma divisão em 2016, com o Rio Preto. O Desportivo Brasil manteve Maurício Barbieri, que levou a equipe até as quartas da Copa Paulista. Já o MAC trouxe de volta o ídolo Jorge Rauli.