Prefeitura não repassa verba carimbada do SUS

A Prefeitura não repassou recurso do SUS à Maternidade Gota de Leite, recurso que vem direto do governo federal com esta finalidade. Os funcionários estão sem salário por conta disso, assim como todos os profissionais contratados para trabalhar na rede básica de saúde, através dos convênios municipais que a Administração mantém com a instituição. Os atrasos no repasse dos convênios que a Prefeitu

A Prefeitura não repassou recurso do SUS à Maternidade Gota de Leite, recurso que vem direto do governo federal com esta finalidade. Os funcionários estão sem salário por conta disso, assim como todos os profissionais contratados para trabalhar na rede básica de saúde, através dos convênios municipais que a Administração mantém com a instituição. 

Os atrasos no repasse dos convênios que a Prefeitura tem com a Gota de Leite são recorrentes, mas desta vez a Administração não repassou nem o dinheiro que vem direto do SUS (Fundo a Fundo), em torno de R$ 1 milhão. A maternidade liberou holerite de 55% dos salários, contando com o depósito em dia pelo menos do recurso federal. O que não aconteceu. Por conta disso os 550 funcionários de Estratégia de Saúde da Família e dos demais convênios estão sem salário. 

Esses demais convênios são para trabalho no PA Sul (Pronto Atendimento da zona Sul), Cerest (Saúde do Trabalhador) e Caoim (Atendimento à Obesidade Infantil). Todos, serviços municipais. E a ESF é para atuação nas unidades de Saúde da Família da rede básica.  

Para manutenção dos convênios com a maternidade, a Prefeitura deve por mês aproximadamente R$ 2 milhões, sendo 1 milhão do SUS e R$ 1 milhão de contrapartida municipal.

A Administração Municipal deveria repassar ainda R$ 152 mil à Gota de Leite referente aos serviços internos prestados pela maternidade em outubro, mas só pagou R$ 85 mil. Esse pagamento não tem relação com os convênios municipais. Neste caso, o montante diz respeito à prestação de serviços SUS da Gota com repasse de dinheiro “carimbado”, também direto do governo federal.  

A instituição recebeu os R$ 85 mil na segunda-feira e ontem deveria ter repassado os outros R$ 67 mil, o que não aconteceu. Com isso, a folha de pagamento interna da Gota também está descoberta e funcionários afirmaram que é o primeiro atraso salarial em muitos anos. Até o fechamento desta edição, a Administração Municipal não respondeu ao Jornal da Manhã sobre este assunto.