Reunião da CPI do Ipremm acontece nesta quarta-feira na sala ‘Nasib Cury’

Reunião da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Ipremm (Instituto de Previdência do Município de Marília) acontece nesta quarta-feira (8), às 15h, na sala “Nasib Cury” da Câmara Municipal. Será o terceiro encontro de trabalho da comissão, que recebeu os últimos documentos solicitados esta semana e deverá anunciar as primeiras oitivas. Instaurada no final de setembro para apurar o rombo finan

Reunião da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Ipremm (Instituto de Previdência do Município de Marília) acontece nesta quarta-feira (8), às 15h, na sala “Nasib Cury” da Câmara Municipal. Será o terceiro encontro de trabalho da comissão, que recebeu os últimos documentos solicitados esta semana e deverá anunciar as primeiras oitivas.

Instaurada no final de setembro para apurar o rombo financeiro no Ipremm, a CPI deverá convocar para depor primeiro os ex-presidentes do Instituto. Na sequência, é provável que sejam chamados os ex-prefeitos Mário Bulgareli, Ticiano Toffoli e Vinícius Camarinha.

Após dois encontros no prédio legislativo “Sydney Gobetti de Souza”, a comissão solicitou ao Ipremm no início de outubro que fosse fornecida relação de 12 documentos para análise. Inicialmente, já havia sido pedida e entregue auditoria feita pela Prefeitura no Instituto, bem como a legislação que rege o órgão ligado à Administração Municipal.

O presidente da CPI do Ipremm, vereador Mário Coraíni Júnior (PTB) reconheceu no último encontro que o período de investigações é muito longo, desde 1991 e informou que os trabalhos deverão concentrar forças na apuração de documentos a partir da gestão do prefeito Mário Bulgareli, com início em 2005.

Isso porque, há 12 anos foi constatada a interrupção do repasse patronal ao Ipremm. A comissão também já tem a informação de que parcelamentos de dívidas feitos por gestões anteriores não foram cumpridos.

Além de Coraíni Júnior na presidência, a CPI do Ipremm conta com os vereadores José Luiz Queiroz (PSDB) como relator e Maurício Roberto (PP) como terceiro membro.

Entre os documentos pedidos pela CPI ao Ipremm estão: cópias das atas das reuniões dos conselhos administrativos desde 2006; os relatórios atuariais e do Plano Anual de Custeio desde 2001; as auditorias direta e indireta realizados pelo Ministério da Previdência Social desde 1991; documentos emitidos pelo Banco Central do Brasil relacionados ao Fundo de Investimentos, Aplicações e demais carteiras de ativos que sofreram intervenção do órgão federal; leis que autorizaram parcelamentos de dívidas; balancetes mensais desde 2009; o relatório sintético informando se houve a transferência de recursos e obrigações entre o Plano Financeiro e o Plano Previdenciário, ou vice-versa, mencionando a data e a justificativa da transferência, desde janeiro de 2009; e por fim, o relatório sintético para apurar se houve uso indevido de recursos previdenciários para o pagamento de despesas diversas dos benefícios previdenciários e da Taxa de Administração de Previdência Social.