Diagnóstico tardio de câncer de mama é realidade do SUS

A campanha Outubro Rosa torna as mulheres atentas ao câncer de mama, reforça as avaliações periódicas e conquistou um acesso mais rápido à mamografia. No entanto, a realidade SUS ainda é de diagnóstico tardio. Na região, entre um resultado suspeito de mamografia e os procedimentos complementares, a paciente pode esperar mais de seis meses para começar o tratamento. O ideal seria no máximo 60 dias.