Prefeitura consegue vaga, mas a irmã renuncia ao acolhimento

Sobre a liminar de 20 de abril que determinou o acolhimento, em asilo, de Osvaldo Baldenebro, a Prefeitura frisou que a vaga foi conseguida, mas sua irmã e cuidadora, Aurora Baldenebro, mudou de opinião e quer continuar cuidando do idoso em casa. Apesar das suas dificuldades, já que cuida também de outra irmã acamada, Aurora Baldenebro. O idoso teve perda total de visão e um problema vascular qu

Sobre a liminar de 20 de abril que determinou o acolhimento, em asilo, de Osvaldo Baldenebro, a Prefeitura frisou que a vaga foi conseguida, mas sua irmã e cuidadora, Aurora Baldenebro, mudou de opinião e quer continuar cuidando do idoso em casa. Apesar das suas dificuldades, já que cuida também de outra irmã acamada, Aurora Baldenebro. 
O idoso teve perda total de visão e um problema vascular que levou à amputação de uma perna. Em função da dificuldade financeira da família e de haver dois acamados na mesma casa, o caso em questão chegou à Promotoria do Idoso.
Osvaldo tem saúde bastante debilitada, estando enquadrado no grau 3 de dependência, o que dificulta aos asilos o seu acolhimento, até por barreiras sanitárias que configuram o idoso como de responsabilidade da Saúde também, necessitando de cuidados especiais.
Apesar disso, através da liminar caberia ao Município entrar em acordo com um dos três asilos da cidade, chamados ILPIs (instituições de longa permanência do idoso), para obter uma vaga para Osvaldo Baldenebro.
“Cumprimos a determinação e cada um dos três ILPIs, Casa do Caminho, Mansão Ismael e Lar São Vicente de Paulo visitou a família, mas encontrou resistência no acolhimento de Osvaldo. Ele não quer ir e a irmã e cuidadora também oferece resistência”, informou a equipe técnica da Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Assistência Social.
Apesar dessa vontade ter sido mencionada pela própria Aurora, diante desta possibilidade ela recuou. A secretaria salientou que essa decisão cabe à família e que, apesar das dificuldades em ser cuidadora de dois acamados, ambos têm recebido muitos cuidados em casa. 
Família recebe benefício e aluguel social
“A família se mudou há alguns meses para uma casa maior e arejada e recebe o aluguel social da Prefeitura de R$ 800,00. Os dois acamados têm BPC (Benefício de Prestação Continuada) de um salário mínimo cada um e Aurora tem se mostrado uma irmã zelosa e atenta. Os lençóis são continuamente trocados, os dois irmãos estão sempre limpos, alimentados e bem cuidados”, informou a Secretaria de Assistência Social, que já visitou a família várias vezes e acompanha o caso.
Todo o acompanhamento e as visita do Município à família estão documentados em relatório técnico. Aurora aceita ajuda pelo número 99687-6934. A casa fica localizada na rua José Simplício, nº 278, no Jardim Virgínia (zona oeste).