Morre ex-deputado Otávio Torrecilla

Foi enterrado ontem em Marília o ex-deputado federal e ex-vereador de Marília, Otávio Torrecilla. Ele tinha 78 anos e estava internado na Santa Casa de Marília. Com uma história de atuação em diferentes segmentos da sociedade, Otávio Torrecilla foi vereador por dois mandatos na época em que a função não tinha remuneração. Foi deputado federal e também o único morador de Marília que recebeu o títul

Foi enterrado ontem em Marília o ex-deputado federal e ex-vereador de Marília, Otávio Torrecilla. Ele tinha 78 anos e estava internado na Santa Casa de Marília. Com uma história de atuação em diferentes segmentos da sociedade, Otávio Torrecilla foi vereador por dois mandatos na época em que a função não tinha remuneração. Foi deputado federal e também o único morador de Marília que recebeu o título de comendador da Ordem do Ipiranga, a maior honraria concedida pelo Estado de São Paulo. 

Otávio Torrecilla foi policial militar, Guarda Civil, agente do INSS, advogado, presidente da Associação dos Alfaiates de Marília e foi o primeiro presidente do Sindicato dos Vigilantes Bancários do Estado de São Paulo. Como deputado federal, foi o autor da lei federal que profissionalizou os vigilantes bancários. 

Antes de se eleger vereador em Marília, Torrecilla trabalhou como chefe de gabinete do prefeito Armando Biava, exercendo a função de 1964 a 1969. Ao lado de Oswaldo Doreto Campanari, também ex-deputado, ele foi fundador do MDB (o partido que originou o PMDB) em Marília. Por conta disso foi eleito presidente do MDB em Marília na época da Revolução de 1964. Ele saiu candidato a deputado federal e Doreto a deputado estadual. Os dois foram eleitos. Também foi um grande doador de peças que registraram a história de Marília ao Museu Histórico Pedagógico.

Em entrevista concedida ao jornalista Ramon Franco em 2015, Otavio Torrecilla disse que sempre foi apaixonado pela política e lembrou que em sua época os vereadores não tinham salário e as campanhas eram feitas sem qualquer recurso, com panfletos custeados pelos próprios candidatos e visitas de porta em porta aos eleitores. E tinha orgulho de em 40 anos de vida pública nunca ter sido processado ou ter tido um cheque devolvido.“Hoje a política mudou de direção. A gente vê o político pensando só em se reeleger e a preocupação dele é ir para a tribuna apresentar coisas populistas para cair no agrado do povo, depois dar um botijão de gás e pagar uma conta de luz, dar uma cesta básica e se reeleger”, disse Torrecilla ao jornalista.