Servidores inativos buscam apoio de vereadores

O Sindimmar (Sindicato dos Servidores Municipais de Marília) está convocando os servidores aposentados e servidores da ativa para participarem da sessão da Câmara na próxima segunda-feira (24), com objetivo de buscar apoio dos vereadores para solucionar a questão do vale alimentação dos inativos, que foi suspenso por uma Adin (Ação Direta de Inconstitucionalidade) proposta pela Prefeitura. O Trib

O Sindimmar (Sindicato dos Servidores Municipais de Marília) está convocando os servidores aposentados e servidores da ativa para participarem da sessão da Câmara na próxima segunda-feira (24), com objetivo de buscar apoio dos vereadores para solucionar a questão do vale alimentação dos inativos, que foi suspenso por uma Adin (Ação Direta de Inconstitucionalidade) proposta pela Prefeitura. 

O Tribunal de Justiça de São Paulo concedeu liminar a Prefeitura suspendendo o benefício aos inativos, baseado na súmula vinculante nº 55 do STF. Com isso, a lei municipal que garante o vale alimentação aos aposentados perdeu o efeito e os inativos deixam de receber o benefício a partir de maio. 

O Sindimmar pretende buscar uma saída política e jurídica para que os servidores aposentados possam continuar recebendo o benefício. A partir de maio os aposentados já terão o vale alimentação cortado. Segundo o sindicato, são 1.490 servidores aposentados que serão prejudicados pela decisão liminar do Tribunal de Justiça de São Paulo.Em recente negociação com a Prefeitura, os servidores conseguiram que o vale alimentação aumentasse de R$ 125 para R$ 250. 

“Não podemos aceitar que isso aconteça pois esses servidores por muitos anos deram o sangue para a construção da nossa cidade e não é justo que agora venham a perder esse benefício”, disse o presidente do sindicato Mauro Cirino. 

Cirino está agendando uma reunião com o Tribunal de Contas para se informar sobre a concessão do vale alimentação para os aposentados e buscar alternativas legais para que o benefício seja mantido. 

Os servidores municipais também estão se organizando para participar da mobilização nacional marcada para o dia 28 e que também vai acontecer em Marília, contra as reformas da Previdência e Trabalhista.