Servidores aceitam proposta da Prefeitura

Os servidores municipais decidiram ontem em assembleia aceitar a proposta oferecida no final da tarde pela Prefeitura e encerraram as negociações. Foram quatro reuniões até o acordo. A categoria estava em estado de greve desde a última semana quando houve impasse entre os índices oferecidos pelo Executivo e as reivindicações dos servidores. Os servidores terão 2% de reajuste salarial e vale alimen

Os servidores municipais decidiram ontem em assembleia aceitar a proposta oferecida no final da tarde pela Prefeitura e encerraram as negociações. Foram quatro reuniões até o acordo. A categoria estava em estado de greve desde a última semana quando houve impasse entre os índices oferecidos pelo Executivo e as reivindicações dos servidores. Os servidores terão 2% de reajuste salarial e vale alimentação de R$ 250 (o valor atual é de R$ 125). 

Na semana passada, os servidores pediram reajuste salarial de 4% e R$ 300 de vale alimentação. Em nota, a Prefeitura informou ontem que o reajuste de 2% e o vale alimentação de R$ 250 é o máximo que o município pode pagar aos servidores. Durante a reunião, o secretário da FazendaLevi Gomes destacou que esse é limite que a prefeitura pode pagar para os funcionários nesse momento, já  que em janeiro  houve a incorporação do abono de R$200, o que já teria onerado os cofres municipais.

A categoria agora tenta uma solução para situação dos servidores aposentados e inativos, que tiveram o direito ao vale alimentação suspenso em razão de uma Adin (Ação Direta de Inconstitucionalidade) proposta pela Prefeitura junto ao Tribunal de Justiça de São Paulo. A ação suspendeu os efeitos da lei municipal que concede vale alimentação aos inativos. A Prefeitura se baseia na súmula 55 do STF (Supremo Tribunal Federal) que considera que esse benefício não deve ser concedido a servidores aposentados e inativos. 

Segundo o presidente do Sindimmar (Sindicato dos Servidores Municipais de Marília),. Mauro Cirino, a categoria está buscando uma solução para situação dos inativos. Esse mês eles ainda receberam o vale alimentação mas a partir do próximo mês o benefício será cortado. “O sindicato está buscando alternativas para solucionar o problema. Estou inclusive agendando reunião com o Tribunal de Contas para ver o que é necessário fazer”, disse.