Ex-técnico fica surpreso com demissão e não condena Giba

Demitido na noite da segunda-feira (dia 10) do cargo de técnico do Marília Atlético Clube (MAC), Luciano Quadros ficou surpreso com a decisão tomada pelo presidente Antônio Carlos “Sojinha”, que só foi anunciada ontem pela manhã. “Fiquei surpreso sim. Queria muito fazer essa última rodada. Conversei bastante com o presidente, que é muito meu amigo. Tentei convence-lo do contrário, mas no final ent

Demitido na noite da segunda-feira (dia 10) do cargo de técnico do Marília Atlético Clube (MAC), Luciano Quadros ficou surpreso com a decisão tomada pelo presidente Antônio Carlos “Sojinha”, que só foi anunciada ontem pela manhã. “Fiquei surpreso sim. Queria muito fazer essa última rodada. Conversei bastante com o presidente, que é muito meu amigo. Tentei convence-lo do contrário, mas no final entendi que nenhum profissional está acima do clube”, comentou Quadros.
O ex-treinador admitiu que a goleada de 5 a 0, sofrida para o São José FC, no último domingo, fora de casa, teve um peso considerável em sua demissão. “Foi um resultado fora do comum. Estávamos indo muito bem na partida até o primeiro gol do adversário (40 minutos do 1º tempo). Tínhamos chutado duas bolas na trave e outras três chances reais para marcar e não fizemos, assim como vem acontecendo nos últimos jogos. Depois veio o abatimento e os contra-ataques do adversário encaixaram”, comentou.
Luciano Quadros também falou sobre o zagueiro Giba, que após o jogo contra o São José, foi até uma boate e postou fotos em sua rede social fumando e numa mesa cheia de bebidas alcóolicas. “Ele estava de folga e nesse período ele faz o que bem entender. Isso é questão de consciência de cada um. Eu não teria feito isso no lugar dele, mas acho que não houve desrespeito com ninguém”, afirmou.
Apesar de fora do MAC, o técnico Luciano Quadros acredita que o time não será rebaixado. “Deixei a equipe fora da zona do rebaixamento, dependendo apenas de si e em um jogo em casa. Sei do potencial deste grupo”, explicou. O treinador esteve no Marília desde a metade de novembro do ano passado (quase quatro meses). Foram 18 partidas a frente da equipe com: sete vitórias, três empates e oito derrotas (44,4% de aproveitamento).