Diferente de Marília que libera, cidades da região endurecem leis para prevenir Covid

Em Garça, Prefeitura proibiu consumo de bebidas alcoólicas em praças; Ourinhos fica na fase vermelha sete dias

 

Por Izabel Dias 

Ao contrário da Prefeitura de Marília que decidiu não seguir à risca o Plano São Paulo e permitiu o funcionamento de bares, prefeitos de cidades da região adotaram medidas mais rígidas para evitar aglomerações e frear o aumento do contágio pelo coronavírus. Em Ourinhos o prefeito decidiu colocar a cidade na fase vermelha (a mais restritiva) por sete dias, diante do aumento dos casos, das mortes e da taxa de ocupação de leitos.

A Prefeitura de Ourinhos editou decreto permitindo funcionamento apenas dos setores considerados essenciais. A medida foi sugerida pelo Ministério Público e inclui até 'toque de recolher'. O decreto prevê ainda multa de R$ 1.012 para quem descumprir as regras. No caso de reincidência o valor será dobrado e haverá suspensão da atividade por 30 dias. A cidade de Ourinhos tem 114.352 habitantes e até ontem registrava 4.400 casos de Covid com 64 mortes.

Garça é outro município vizinho que vai seguir à risca o Plano São Paulo na fase laranja e ampliou medidas restritivas. A Prefeitura publicou decreto na segunda-feira (11) atualizando a classificação para fase laranja que não permite o atendimento presencial nos bares, apenas sistema de delivery e drive thru até 22h.  

A Prefeitura de Garça ainda proíbe o consumo de bebidas alcoólicas e aglomeração de pessoas em espaços públicos, em especial praças, rotatórias, Lago Artificial J.K. Willians, bosque municipal e Parque Jayme Miranda. Garça registra 1.188 casos de Covid e 25 óbitos.

A Prefeitura de Tupã, também na fase laranja, vai seguir as regras do Plano SP e vai adotar medidas para evitar aglomerações. A Prefeitura vai interditar as praças das 22h às 6h para evitar a presença de grupos de jovens. O setor de fiscalização do município informou que após o fechamento dos bares, muitos jovens se reuniam em grupos nas praças para continuar consumindo bebidas. A interdição das praças visa evitar esse tipo de aglomeração e a fiscalização será feita com apoio da Polícia Militar. Tupã tem mais de 1.800 casos confirmados de Covid e 57 mortes, além de ocupação de 100% dos leitos de UTI da cidade.  

MARÍLIA

Em Marília apesar do decreto municipal não citar a situação dos bares, um acordo informal entre a Prefeitura e os empresários do setor permite o funcionamento até 22h, apesar da fase laranja não permitir a abertura dos bares. A Prefeitura divulgou que vai intensificar a fiscalização e autuar os estabelecimentos que não cumprirem as regras para evitar aglomerações e respeitar o a capacidade máxima dos locais.

A reportagem do Jornal da Manhã questionou a Prefeitura de Marília se houve aumento do efetivo para fiscalização em 2021 e para atendimento do setor de Ouvidoria fora do horário comercial. Quem fizer algum tipo de denúncia de descumprimento do decreto pelo Whatsapp da Ouvidoria fora do horário comercial e nos finais de semana não recebe resposta.

Em nota, a Prefeitura de Marília, através do Setor de Fiscalização de Posturas e Vigilância Sanitária, informou que “vem trabalhando diariamente, inclusive nos períodos noturnos para conter e fiscalizar qualquer tipo de desobediência sanitária contra a Covid-19”. Segundo a Prefeitura, as denúncias aos finais de semana e no período noturno, podem ser feitas diretamente para Policia Militar, que aciona os órgãos de fiscalização do município.