Mesmo sem vagas nos hospitais jovens fazem festa clandestina na zona sul; PM fechou o local

Após monitoramento fiscais da prefeitura solicitaram apoio da Polícia Militar e acabaram com o evento

 Fiscais de Posturas, Vigilância Sanitária e a Polícia Militar ao interromperam uma festa clandestina com mais de 300 pessoas que estava sendo realizada na madrugada desse domingo (10) na Zona Sul de Marília.

Festas e realização de shows estão proibidos desde março de 2020 quando foi decretado uma pandemia mundial por conta do Coronavírus. 

“Com muita dificuldade conseguimos identificar o local que sempre é revelado minutos antes do início e monitoramos os preparativos durante a tarde toda. Acionamos a Polícia Militar que prontamente nos apoiou disponibilizando escolta com seis viaturas para acompanhar a Fiscalização de Posturas e da Vigilância Sanitária”, disse o supervisor da Vigilância Sanitária Luciano Rocha Villela. 

As duas equipes de fiscalização saíram por volta das 0h30 e foram escoltados pela Polícia Militar. Chegando no local confirmaram a existência de uma festa clandestina com a presença estimada de 300 pessoas, com uma lista de nomes indicando que o público total poderia chegar a 400 pessoas, sem utilização de máscaras, sem distanciamento social e gerando enorme aglomeração de pessoas. No local também foram encontradas muitas bebidas alcoólicas. 

Os responsáveis, entre eles, uma estudante de direito do quarto ano, foram chamados e informados da situação em desacordo e a festa foi imediatamente interrompida com a solicitação da evacuação imediata do local pelas pessoas presentes. 

Segundo Juliano Battaglia, chefe da Fiscalização de Posturas, "é uma pena, mas chegamos no limite no tocante à fiscalização, a partir de agora será tolerância zero e com o apoio da Polícia Militar vamos fazer cumprir as regras para evitar o aumento do número de casos Covid positivos na cidade", disse. 

Foi realizado um Boletim de Ocorrência onde ficou registrado os responsáveis pelo evento a desobediência ao artigo 268 do Código Penal que é o crime contra a Saúde Pública por infringir determinação do poder público, destinada a impedir a propagação de doença contagiosa (Covid-19).

Após o registro do B.O., a Polícia Civil vai instaurar um Termo Circunstanciado e encaminhará para o Fórum Municipal onde o Ministério Público e o Tribunal de Justiça tomam as devidas providências.

O Supervisor da Vigilância Sanitária, Luciano Rocha Villela solicita a colaboração da população marilienses. “A conscientização nesse momento importante de aumento do número de casos e ocupação total dos leitos UTI Covid nos hospitais da cidade, em evitar aglomeração de pessoas e seguir as recomendações básicas para o enfrentamento da pandemia”, disse. 

Entre as regras estão: usar máscaras, lavar frequentemente as mãos com água e sabão, usar álcool em gel 70%, manter distanciamento entre as pessoas, evitar aglomeração, frequentar somente locais abertos e arejados naturalmente e em caso de início de sintomas respiratórios procurar urgentemente as Unidades de Saúde referenciadas para o atendimento Covid-19.

Denúncias anônimas de festas clandestinas e aglomerações de pessoas podem ser realizadas na Ouvidoria Geral do Município pelo telefone (0800-7766-111), WhatsApp (14-99799-6361), e-mail (ouvidoria@marilia.sp.gov.br) ou através do 190 da Polícia Militar. 

Fotos: Divulgação