Ford avalia tendências no pós-pandemia

Dentre as mudanças já em curso, maior demanda pelo transporte individual e uso do carro para relaxar e ter privacidade

A Ford acaba de divulgar relatório anual de tendências para 2021 a partir das mudanças decorrentes das medidas de isolamento social impostas pela pandemia da Covid-19 este ano. Dentre vários dados pesquisados, destaque para o transporte pessoal em alta e o uso do carro como refúgio para relaxar e vencer a monotonia e o confinamento nos lares.

“Globalmente, mais de um em cada cinco adultos disseram usar o veículo para encontrar privacidade e 17% passaram a utilizá-lo como local de trabalho”, constatou a pesquisa da Ford, mostrando um aumento na demanda no mercado automotivo justamente pela segurança que o carro propicia e a certeza da pessoa de que “pode controlar seu ambiente”.

Ainda segundo o relatório, 67% dos adultos em todo o mundo disseram que estão “esperançosos sobre o futuro dos carros autônomos” e 68% dos pais revelaram que preferem ver seus filhos rodando em um automóvel autônomo do que com estranhos.

Em sua nona edição, abrangendo consumidores de 14 países, o relatório avalia também como as famílias e indivíduos estão reescrevendo as regras no trabalho, na vida pessoal e nas relações sociais, assim como no consumo de produtos e serviços. Dentre as tendências detectadas, as pessoas começam a repensar onde moram e avaliam mudar para mais perto da família.

Constatou-se, por exemplo, que 69% dos adultos disseram se sentir oprimidos com as transformações provocadas pela Covid-19, embora 47% tenham revelado que foi mais fácil se adaptar às mudanças do que imaginaram inicialmente.

Dentre os dados positivos, 75% responderam que aprovam o modo como as empresas melhoraram a experiência de compra desde o início da pandemia e 41% disseram não querer voltar ao modo antigo de comprar.

A montadora relata que anualmente analisa as tendências globais do consumidor para saber justamente como se conectar com ele a partir das experiências vividas ao longo do período.

“Ninguém pôde prever o que aconteceria em 2020. A Covid-19 trouxe o caos político, econômico e emocional, testando os limites dos indivíduos, famílias, sistemas de saúde e setores inteiros da sociedade. No entanto, a pandemia também revela como as pessoas podem ser resilientes e encontrar maneiras de se adaptar”, enfatiza o relatório da Ford.

A questão, segundo Sheryl Connelly, gerente de tendências de consumo global e futuro da Ford, é justamente saber em que grau as pessoas se transformaram.

“A Ford e outras empresas estão profundamente interessadas em saber quais as mudanças que vão permanecer depois que a Covid ficar no retrovisor. Embora ninguém possa prever o futuro, não significa que não podemos nos preparar para isso”, concluiu Connelly.