Motociclista embriagado é preso após colidir em veículo em semáforo

Acusado não pagou fiança de R$ 1,2 mil e foi encaminhado para audiência de custódia na Justiça de Marília

Por Matheus Brito / Foto: Divulgação

O cobrador A.O.S., de 49 anos, foi preso por policiais militares após ser flagrado dirigindo embriagado e causar acidente de trânsito entre carro e motocicleta no início da madrugada de sábado (28) no Jardim Guarujá, na zona Sul de Marília.

De acordo com informações da Polícia Militar (PM), por volta da meia-noite, o acusado conduzia uma motocicleta Honda NXR 150 Bros KS, placa de Marília, e colidiu na traseira de um veículo GM Onix, também placa de Marília, que estava parado no semáforo na avenida João Ramalho.

Os policiais militares notaram que o cobrador apresentava odor etílico, fala pastosa e dificuldade de equilíbrio. Submetido ao teste do etilômetro, constatou 0,80 miligramas de álcool por litro de sangue.

O cobrador foi indiciado em flagrante pelo crime de embriaguez ao volante. Ele não pagou a fiança de R$ 1,2 mil e o encaminhara para audiência de custódia na Justiça. A pena pode chegar até três anos de prisão, além de multa e sanções administrativas.

BR -153 – O aposentado L.C.G.S., de 60 anos, também foi preso por embriaguez ao volante na madrugada de sábado (28) na rodovia Transbrasiliana (BR-153), em Marília. Ele foi flagrado dirigindo sob efeito de álcool na contramão de direção.

De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), por volta da 1 hora, o idoso conduzia uma Fiat Strada, placa de Marília, e após contornar uma rotatória na altura do quilômetro 257 da rodovia ingressou na contramão de direção, mas foi interceptado por uma viatura da Polícia Militar (PM).

Policiais rodoviários federais foram acionados e notaram que o aposentado apresentava dificuldade de equilíbrio, fala pastosa e forte odor etílico. O teste do etilômetro apontou 0,73 miligramas de álcool por litro de sangue.

O aposentado foi indiciado em flagrante pelo crime de embriaguez ao volante. Ele não pagou a fiança de R$ 1,2 mil e o encaminhara para audiência de custódia na Justiça. A pena pode chegar até três anos de prisão, além de multa e sanções administrativas.