Crime em bar na zona Sul pode ter ligação com o tráfico

Delegado Luís Marcelo Perpétuo Sampaio afirma que investigação está avançada e espera solucionar crime nos próximos dias

Por Matheus Brito / Foto: Divulgação

A principal linha de investigação da Polícia Civil de Marília é que o assassinato do zelador Manoel da Silva Barreto, de 36 anos, tenha sido motivado por desavenças do tráfico de entorpecentes. Já a gestante Carla da Silva de Moraes, de 25 anos, foi atingida pelo disparo por estar próxima a vítima.

“Essa é a principal hipótese da motivação do crime. O Manoel já possuía passagens por tráfico e o que consta tinha alguns desafetos antigos por conta disso Já a mulher foi atingida, pois estava na linha de tiro dos assassinos”, afirmou o delegado DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Marília, Luís Marcelo Perpétuo Sampaio.

Ainda segundo apurado pela reportagem do Jornal da Manhã, a Polícia Civil considera a investigação em estágio avançado e espera elucidar o crime nos próximos dias.

“Nossa equipe de investigação ainda está checando alguns detalhes do crime, mas entendo que o caso está próximo de ser solucionado”, afirmou Sampaio.

Caso – O duplo homicídio ocorreu na noite de quarta-feira, por volta das 21h30, em um bar na rua Panamá, no bairro Aparecida Nasser, na zona sul de Marília.  

Barreto estava na calçada com a esposa F.A.O.B., de 27 anos, e conversava com Carla e o marido, o comerciante V.M., de 28 anos. Minutos depois uma motocicleta parou em frente ao bar. Os dois ocupantes desceram do veículo, sacaram a arma e efetuaram diversos tiros em direção ao zelador.

Barreto foi alvejado por cinco disparos no tórax, costas e braço. O zelador correu para o interior do bar, mas não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local.

Carla foi atingida por um tiro no pescoço. A dona de casa foi socorrida por ambulância do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) para o Hospital das Clínicas (HC) de Marília, mas ela e o bebê não resistiram e morreram durante o atendimento médico.

Após o crime, os atiradores deixaram o local numa motocicleta e foram acompanhados por um carro. Horas mais tarde, o veículo usado pelos executores foi encontrado abandonado numa estrada vicinal em Vera Cruz.

O proprietário da motocicleta foi identificado e disse aos policiais que teria emprestado a motocicleta para outra pessoa.