editorial

                      Covid faz voltar o arrocho!

 

Hoje, 76% dos municípios paulistas, inclusive a capital, estão na fase verde do Plano SP, que prevê reabertura controlada de quase todas as atividades, inclusive cinemas e teatros. Infelizmente a abertura necessária do comércio, incluindo bares, restaurantes e até casas de ventos, teatros e cinemas vem causando sérios problemas e fazendo avançar a infestação do coronavírus, o que tem refletido no número de internações nos hospitais públicos e particulares.


Lógico que o problema maior não está na abertura do comércio, principalmente em bares e restaurantes. O problema está na falta de consciência da população que vem encarando a reabertura e liberação de atividades em locais públicos como o fim da pandemia.

Mesmo estando na Primavera, com altas temperaturas e com a proximidade do Verão, o vírus tem se espalhado com maior intensidade por causa das aglomerações que são registradas irresponsavelmente nos bares, restaurantes, casa de eventos, praças, chácaras e até mesmo dentro das residências com as festas em família.


Pois é, a situação piorou e o arrocho do Plano São Paulo vai voltar. Aliás, o que já deveria ter acontecido diante do aumento de casos da Covid-19 e o aumento na internações em várias regiões, principalmente na Grande São Paulo. Acontece que o governador João Dória vem fazendo vistas grossas por causa da campanha eleitoral que tem eleição do segundo turno neste domingo. Arrocho e restrições na capital paulista podem prejudicar o candidato do PSDB, Bruno Covas, que disputa a reeleição.

Assim, é praticamente certo que na segunda-feira, o governador João Dória voltará com aquele tradicional circo armado para coletiva de imprensa, principalmente para as emissoras de televisão, com o tradicional #FiqueEmCasa.

Com uma alta na taxa de transmissão do coronavírus e nas internações no estado de São Paulo, o centro de contingência vai propor ao governo que volte a endurecer as medidas de isolamento social. Parte do grupo defende que todo o estado volte ao estágio amarelo, que permite a abertura de estabelecimentos mas limita o horário. Mas também há possibilidade da cor laranja chegar a algumas regiões, principalmente na Grande São Paulo. O volume de pessoas internadas com Covid em UTIs no estado cresceu 22%, comparando com duas semanas atrás, segundo dados da Secretaria de Saúde de São Paulo. O aumento foi ainda mais forte se considerada apenas a Grande São Paulo (30%). São 2.400 pessoas internadas em UTIs nessa região (o dado do governo considera média dos últimos sete dias).


Em 16 das 22 subregiões do estado, o índice de contágio (RT), que aponta quantas pessoas serão contaminadas por um infectado e ajuda a estimar a velocidade de transmissão da doença, está acima de 1. O número deve estar sempre abaixo 1 para que a tendência de queda de casos se mantenha. Nas regiões paulistas de Registro e Presidente Prudente, o RT está em 2,1 e 2,04, respectivamente. Na capital, em 1,55. 


Segundo o epidemiologista Paulo Menezes, professor do departamento de saúde preventiva da USP e que integra o centro de contingência, a situação é muito preocupante e se agravou na última semana. “Houve um aumento importante da transmissão do vírus e isso agora reflete no número de casos e de internações. Óbitos levam mais tempo para aparecer”. Ou seja, todo cuidado é pouco e parece que a população passou a subestimar a infestação do vírus chinês. A conta vai ficar alta!