MAC vai pegar o campeão da Série A-3 nas oitavas de final

Hoje à tarde (25), time foi até Ribeirão Preto e venceu o Botafogo pelo placar de 2 a 0

Por Jorge Luiz/foto: Matheus Dahsan

 

O Marília Atlético Clube (MAC) confirmou o favoritismo do ‘Grupo 1’ e terminou a 1ª fase na liderança, com a vitória de hoje à tarde (dia 25) sobre o Botafogo por 2 a 0, no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto. Terceira melhor campanha entre os 16 classificados da Copa Paulista, o Alviceleste irá enfrentar nas oitavas de final o Velo Clube (14º), campeão do Paulista da Série A-3 no mês passado.

O primeiro duelo será em Rio Claro e o segundo no Abreuzão. As datas e os horários serão divulgados nesta sexta-feira (26), pela Federação Paulista de Futebol (FPF), no Congresso Técnico, às 11h30. Em caso de dois empates nos confrontos, a decisão da vaga nas quartas de final será nas penalidades máximas.

Além da liderança do ‘Grupo 1’ com 12 pontos, a vitória de hoje fez o técnico Guilherme Alves igualar a José Carlos Serrão, como 14º treinador da história do MAC em número de partidas e ficar a apenas dois de Arthur Bernardes (13º). Os dois gols contra o Botafogo foram marcados por atletas que ganharam a oportunidade como titular nesta partida: o zagueiro Marcos Vinícius e o lateral-esquerdo Luan Gama.

O Marília encerra a primeira fase como melhor ataque, ao lado da Portuguesa, com 15 gols marcados. Na volta do futebol durante a pandemia, entre Série A-3 e Copa Paulista são dez jogos e o Alviceleste nunca saiu de campo sem ter feito pelo menos um gol.

 

1º tempo – Apesar de ter tido menos posse de bola que o Botafogo (67%), o Marília (37%) saiu vitorioso na etapa inicial. O time de Ribeirão Preto ficava mais com a bola, mas em uma região morta do campo – atrás a linha do meio-campo, já que o Alviceleste marcou em sua maioria no seu campo de defesa e levou muito perigo nos contra-ataques. Foram seis finalizações no primeiro tempo e dois chutes na direção do gol. O primeiro com o volante Dionathan de fora da área, que o goleiro defendeu sem dar rebote.

No segundo arremate em direção à meta adversária, veio o gol aos 47 minutos. A jogada iniciou com escanteio cobrado por Léo Couto, que a defesa do Botafogo afastou de cabeça para o setor direito. O atacante Eric Di María evitou que a bola saísse pela linha lateral, rolou para trás para o volante Dionathan, que cruzou de primeira pelo alto. No bate rebate dentro da grande área, a bola sobrou para Felipe Cordeiro bater rasteiro (1 a 0). O Botafogo conseguiu finalizar somente uma vez na etapa inicial e cometeu dez faltas, contra apenas quatro do MAC.

 

2º tempo – No início da etapa final o Marília assinalou o segundo gol. Aos dez minutos, próximo à entrada da área, o volante Junior Santos rolou na esquerda para o lateral Luan Gama. Ele tocou no meio para Danilo Melega e correu para a grande área. O atacante tentou proteger a bola na disputa e ela sobrou livre para o lateral em velocidade, chutar forte pelo alto (2 a 0).

Somete após o segundo gol sofrido, o time da casa começou a reagir e deu trabalho ao goleiro Igor Castro, em pelo menos três lances perigosos. O Alviceleste seguiu nos contra-ataques mas teve poucas oportunidades claras de gol. O jogo foi marcado por muitas faltas, porém foram apenas quatro cartões, sendo três para o Botafogo, que teve 24 infrações contra 17 do time maqueano.

Assim como no primeiro tempo, no segundo a equipe de Ribeirão Preto acabou com mais posse de bola: 59% contra 41%.

 

Ficha técnica:

 

Local: Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto

Árbitro: Fabiano Monteiro dos Santos

Cartões amarelos: Matheus, Alan Dias e Dener (Botafogo); Léo Couto (Marília)

Gols: Marcos Vinícius 47/1T e Luan Gama 10/2T (Marília)

 

Botafogo – Gustavo; Marlon (Vinícius), Alan Dias, Matheus Ribeiro e Layon; João Victor (Caju), Gabriel Calabres e Wesley; Eduardo Dias (Rezende), Dener (Tortello) e Edgar (Emerson). Técnico: Samuel Dias.

 

Marília – Igor Castro; Bruno Oliveira, Geninho (Arthur Gaúcho), Marcos Vinícius e Luan Gama; Dionathan (Junior Santos) e Felipe Cordeiro e Léo Couto; Eric Di María (Orlando Junior), Danilo Melega (Kelvy) e Gustavo Nescau (Lucas Lino). Técnico: Guilherme Alves.