Decreto estadual contraria decisão municipal de reduzir leitos Covid

Mesmo com a diminuição em Marília, a oferta de vagas, por enquanto, continua maior que a demanda

 

Foto: Divulgação

Um novo decreto do Governo Paulista, assinado nesta quinta-feira (19), proíbe a redução de leitos Covid. O que vale para UTI (Terapia Intensiva) e Enfermaria. Quatro dias antes, Marília tomou a decisão de diminuir leitos gerais em 41%, alegando falta de demanda. O Município ainda não decidiu se vai retroceder.

A demanda pelos leitos hospitalares de Covid vem se mantendo em torno de 30% em Marília, incluindo as internações de pacientes da região (62 municípios). Esse percentual é “puxado” principalmente por pacientes de UTI.

Diante disso, os hospitais reduziram a oferta de vagas na Enfermaria, de 119 para 70, remanejando-as para o fluxo normal de internações. A capacidade de UTI permanece a mesma desde o início da pandemia: 70 também.

O HC passou de 44 leitos clínicos voltados especificamente à Covid, para 20. O HBU (Hospital Beneficente Unimar), de 50 para 30. A Santa Casa, de 25 para 20. E os hospitais continuam com 26 vagas de UTI Covid no Hospital das Clínicas, 26 no HBU e 18 na Santa Casa.

O Município destacou que a decisão foi compartilhada com o Departamento Regional de Saúde do Estado e com os hospitais com base em um estudo de demanda e de forma reversível. Já que os leitos continuam na estrutura hospitalar, atendendo ao fluxo geral de internações, e podem voltar a atender pacientes de Coronavírus a qualquer momento.

Ontem, com o decreto estadual, a Secretaria Municipal da Saúde não afirmou se vai retroceder na decisão ou se vai aguardar a necessidade, caso haja aumento de demanda.

A pasta mencionou que vai reavaliar a situação junto às instituições envolvidas. O Jornal da Manhã também procurou os hospitais locais, que, da mesma forma, ainda não têm um novo posicionamento.

O governo de São Paulo mencionou que o decreto é para evitar a diminuição dos números de leitos públicos e particulares para pacientes de Covid-19. No estado, houve um aumento de 18% na última semana de internações por Coronavírus.

A realidade é diferente em Marília. Mesmo após a diminuição de 119 para 70 leitos gerais de Covid na cidade, a oferta continuou maior que a demanda. Na última quarta, 42,8% dos 70 leitos de Terapia Intensiva e 22,8% dos leitos gerais estavam ocupados. Numa taxa de ocupação geral de 32,8%.

“Mais uma vez o Estado interfere na gestão municipal para o enfrentamento da Covid”, disse o secretário municipal da Saúde, Cássio Luiz Pinto Junior. O Estado também determinou a suspensão do agendamento de novas cirurgias eletivas (sem urgência).