MAC é derrotado em Rio Preto, mas continua na vice-liderança do grupo

Alviceleste poderia ter conquistado a classificação antecipada e assumido a liderança

Por Jorge Luiz/foto: Matheus Dahsan

Não foi dessa vez que o Marília Atlético Clube (MAC) conseguiu a classificação antecipada para as oitavas de final da Copa Paulista. O time precisava da vitória, no estádio Anísio Haddad, pela 4ª rodada, mas acabou derrotado hoje (dia 18), pelo lanterna Rio Preto por 2 a 1. Mesmo com o revés no placar, o Alviceleste segue na vice-liderança do ‘Grupo 1’, com seis pontos – dois a menos que o líder Botafogo.

Além de perder o jogo, o Marília perdeu a chance de acabar com um jejum, que já dura seis anos: de não vencer três partidas consecutivas. Mesmo terminando a partida com mais posse (67% a 43%), a equipe maqueana deu seu primeiro chute em direção ao gol, somente aos 19 minutos da etapa final. Na dividida com o goleiro pelo alto, Lucas Lino testou por cima, mas o zagueiro mariliense Brunão, do Rio Preto, salvou em cima da linha.

Isso aconteceu um minuto depois do time da casa ter seu primeiro atleta expulso, o meia-atacante Moisés, que recebeu o segundo cartão amarelo. O outro cartão vermelho ocorreu aos 36 e nem assim o Alviceleste se aproveitou de ter dois jogadores a mais, pois o gol de honra só veio nos acréscimos.

O próximo compromisso do MAC é neste sábado (dia 21), contra o Grêmio Novorizontino, às 17h, no estádio Bento de Abreu. A vitória confirmará a classificação matemática. Em caso de empate, o time maqueano terá que torcer para o Botafogo ganhar do Rio Preto, fora de casa.

 

Primeiro tempo – Apesar de ter terminado a etapa inicial com mais posse de bola (57%), o Marília pouco fez para criar chances de gol e nenhuma finalização foi na direção a meta do goleiro Gustavo. Já o Rio Preto se aproveitou das mesmas fragilidades maqueanas no setor defensivo do jogo passado: muitos espaços dos lados para os contra-ataques e mano a mano com os zagueiros.

A equipe da casa só não abriu o placar aos 11 minutos, porque Igor Castro operou um milagre. O atacante Thiaguinho cruzou da direita pelo alto e o meia Lucas Lima subiu livre na pequena área para cabecear. O goleiro maqueano defendeu no susto, a bola correu pela linha, mas não entrou.

Porém, não demorou muito para vir o primeiro gol do time da casa. Aos 31 minutos, depois de roubar a bola no campo de defesa, o lateral-direito Dênis teve dificuldades para chutar pra frente e rolou de lado para o zagueiro Geninho tomar a atitude, porém a batida não pegou altura e a bola parou nos pés de Lucas Lima, que cruzou da esquerda pelo alto, para o atacante mariliense Luan Batoré assinar de cabeça (1 a 0).

Já no fim da primeira etapa veio o segundo gol, aos 45. Em uma bola roubada próxima ao meio-campo, o contra-ataque do Rio Preto foi acionado pela direita com o lateral Felipinho, que carregou a bola até a grande área. Na finalização, ele foi travado pelo zagueiro Geninho, mas no rebote Thiaguinho bateu rasteiro (2 a 0).

 

Segundo tempo – Na etapa final o Rio Preto segurou o resultado e praticamente não levou perigo ao gol de Igor Castro. O MAC teve ainda mais posse de bola, chegando ao ataque a todo momento. Entretanto, tendo dificuldades para finalizar em direção ao gol. A pressão maqueana se tornou ainda quando o volante Moisés recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso aos 18 minutos. No minuto seguinte o Alviceleste conseguiu o primeiro chute na direção do gol, na cabeçada do atacante Lucas Lino, que o zagueiro Brunão salvou em cima da linha.

Apesar de sufocar o adversário, o time maqueano não conseguia marcar. Orlando Junior ainda mandou uma bola no travessão e um minuto depois o meia-atacante Tota levou o cartão vermelho direito por falta em Geninho.

Mesmo com dois atletas a mais, o Marília só diminuiu nos acréscimos. Aos 48, em uma falta frontal, o lateral-direito Bruno Oliveira cobrou por cima da barreira no canto esquerdo, sem chances para o goleiro Gustavo (2 a 1).

 

Ficha técnica:

 

Local: Estádio Anísio Haddad, em São José do Rio Preto

Árbitro: Lucas Canetto Bellote

Cartões amarelos: Felipinho e Moisés (Rio Preto); Léo Couto e Dionathan (Marília)

Cartões vermelhos: Moisés e Gabriel Tota (Rio Preto)

Gols: Luan Batoré 31/1T e Thiaguinho 45/1T (Rio Preto); Bruno Oliveira 48/2T (Marília)

 

Rio Preto – Gustavo; Felipinho (Alysson), Brunão, Diego Valin e Raphael; Murilo, Moisés e Lucas Lima (Juninho) (Guilherme); Gabriel Tota, Thiaguinho e Luan Batoré (Anderson). Técnico: João Santos.

 

Marília – Igor Castro; Dênis (Bruno Oliveira), Arthur Gaúcho (Dionathan), Geninho e Diogo Calixto (Jean Carlos); Felipe Cordeiro, Junior Santos e Léo Couto (Luan Gama); Eric Di María (Lucas Lino), Orlando Junior e Gustavo Nescau. Técnico: Guilherme Alves.