Tricampeão paulista por Franca, mariliense busca mais espaço no time

O ala-pivô Edu Marília tem 18 anos e esteve presente nas três conquistas de seu clube

Por Jorge Luiz/foto: Divulgação

 

Pelo terceiro ano consecutivo, o Sesi/Franca faturou o título do Campeonato Paulista de Basquete, ao vencer na final o Paulistano (70 a 54), na casa do adversário, no último dia 10. O mariliense Eduardo França Elevi, de 18 anos, conhecido como “Edu Marília”, comemorou mais um título adulto.

“Sensação única e especial pelo fato de eu ser muito novo, estar em uma grande equipe e uma cidade que respira o basquete, que tem o nome a zelar e uma camisa muito pesada”, declarou.

O ala-pivô participou das três conquistas o clube. “No primeiro (2018) dos três títulos, fiz parte do elenco, não estive na final, mas cheguei a jogar algumas partidas. Já no segundo tive mais oportunidades, assim como nesta temporada e estive presente nas duas finais”, destacou. Edu Marília disse que teve mais espaço no time pelo fato de vários atletas principais terem deixado o elenco durante a pandemia.

“Estou sendo mais utilizado neste ano atípico com essa pandemia. Ficaram apenas seis jogadores adultos e o resto foi completado com a base. Tanto nos treinamentos, quanto nos jogos nós das categorias de base, temos sido mais aproveitados”, explicou o mariliense.

Após o tricampeonato paulista, o Sesi/Franca já iniciou a participação no Novo Basquete Brasil (NBB). Na estreia do dia 12, derrota para o Corinthians (109 a 86), fora de casa e dois dias depois, vitória sobre o Pinheiros (80 a 60), em Franca. Ontem (16), diante do Cerrado (Brasília), como visitante, placar positivo de 86 a 79. A equipe volta a jogar nesta quinta-feira (19), contra Mogi das Cruzes, às 21h, em casa.

Apesar do elenco ser formado por vários atletas jovens, o mariliense acredita que Franca é um dos favoritos ao título do NBB. “Franca é uma cidade tradicional no basquete. Independentemente de qualquer competição, o clube sempre irá entrar para ganhar e esse campeonato não será diferente. Mesmo muitos não acreditando em nós pelo fato de termos poucos atletas adultos, o trabalho que a gente tem feito, com a equipe que temos, bem aguerrida e unida, acho que podemos brigar sim”, frisou.

 

Início em Marília – Eduardo França Elevi ganhou o apelido de Edu Marília, pelo fato de ser da cidade. Em pouco tempo atuando no Sesi/Marília, com o técnico Edney Souza, o mariliense foi convidado a jogar por Franca.

“Entrei no Sesi através da minha avó, ela sempre me incentivou a praticar esportes. Meu tio jogou basquete no Sesi com o Edney, que gostou bastante de mim, porque eu já tinha altura e um biotipo bom. Acho que foi no fim de 2016 que eu comecei a treinar através do PAF (Programa Atleta do Futuro), mas foi em 2017 que eu peguei mais firme, que disputei a LBC (Liga de Basquete Centro Oeste Paulista) e depois recebi o convite de Franca”.

O ala-pivô tem como objetivo na carreira chegar à Seleção Brasileira, no entanto, não está obcecado por um chamado. “Não acho que seja uma meta tão distante assim, mas não fico focado nisso. Claro que é um sonho meu, sem dúvidas. Vestir a camisa da seleção, tanto de base quanto à adulta. Porém, eu penso em crescer e evoluir no Franca e buscar meu espaço cada vez mais”, finalizou.