Joe Biden nomeia militar transgênero para equipe de transição do governo

Indicação pode ser vista como um sinal do futuro governo para reverter o banimento de transexuais no Exército americano

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, nomeou na última sexta-feira (13) a militar veterana trans Shawn Skelly para compor a equipe de transição do governo. Diferente de Donald Trump, que havia prometido proibir pessoas transgênero de servir as Forças Armadas, Biden conta com diversas pessoas LGBTQI+ em cargos importantes.

Skelly, comandante aposentada da Marinha, fará parte do grupo que avaliará o Departamento de Defesa e se torna a primeira pessoa trans a ocupar um cargo que necessita da indicação do presidente.

Ex-assistente especial da Subsecretaria de Defesa para Aquisição, Tecnologia e Logística, ela já havia trabalhado como diretora do Gabinete da Secretaria Executiva do Departamento de Transporte durante o governo de Barack Obama.

Além de banir a maioria das pessoas trans das Forças Armadas, o governo Trump tentou durante os últimos quatro anos cortar as proteções para as pessoas transgênero. Entre medidas do governo, por exemplo, ele chegou a tentar impedir que alunos e alunas transgênero usassem o banheiro que corresponde ao seu gênero.

Já Biden tem uma agenda de escuta com a comunidade LGBTQI+, sobretudo quando se trata de proteger os direitos deles e delas. O novo presidente prometeu fazer da aprovação da Lei da Igualdade, que visa barrar a discriminação com base no sexo, identidade de gênero e orientação sexual, uma prioridade legislativa durante seus primeiros 100 dias no cargo.