Eleitores de Marília escolhem prefeito que vai gerenciar orçamento de R$ 4 bilhões

Nove candidatos disputam a cadeira mais importante do 2º andar do Paço Municipal

 

Roberto Cezar

 

 

Os eleitores de Marília escolhem neste dia 15 de novembro o prefeito que vai gerenciar orçamento de mais de R$ 4 bilhões nos próximos quatro anos. Além disso, a nova composição de 13 vereadores da Câmara Municipal também será definida.

Nove candidatos disputam a cadeira mais importante do 2º andar da Prefeitura. Abelardo Camarinha (Podemos), Adão Brito (PDT), Daniel Alonso (PSDB), Capitão Eliton (PV), Juliano da Campestre (PRTB), Lilian Miranda (PCO), Professor Juvenal (PT), Nayara Mazini (PSOL) e Regiane Mellos (PSL).

Para o Legislativo Municipal, são 330 concorrentes às 13 cadeiras, o que representa uma média de 25 candidatos disputando uma vaga.  

Marília tem 178.917 eleitores aptos a votar, sendo 86.642 correspondentes à 70ª zona eleitoral e 92.275 eleitores ligados à 400ª zona eleitoral. Serão 609 seções, o que possibilita dizer que cada sala vai receber, em média, 294 eleitores durante o dia todo. Isso sem considerar as abstenções.

Receberam geração de mídia e foram lacradas para a utilização no pleito deste domingo total de 514 urnas eletrônicas. São 280 equipamentos correspondentes à 70ª zona eleitoral e 234 ao cartório da 400ª zona eleitoral.

Para o enfrentamento à pandemia de Covid-19, a Justiça Eleitoral anunciou algumas medidas como a disponibilização de álcool em gel nas seções e orienta os eleitores a levarem de casa a caneta para assinar os documentos de votação.

O horário de votação foi estendido das 7h às 17h para diluir melhor o fluxo de votação e assim evitar a aglomeração de pessoas. Das 7h às 10h, haverá atendimento prioritário aos eleitores do grupo de risco de Covid-19, como idosos, imunodeprimidos e gestantes. Isso não significa que os demais eleitores não poderão comparecer às seções eleitorais nestes horários.

Mudanças de locais de votação

As seções eleitorais 119 e 120, que funcionavam no Ceeja (Centro Estadual de Educação de Jovens e Adultos), foram transferidas para o Colégio Compacto, também no centro da cidade.

Após incêndio, a escola estadual Geógrafa Emico Matsumoto também deixou de ser local de votação, com os eleitores sendo transferidos para a Emei (Escola Municipal de Educação Infantil) Raio de Sol.

Já os eleitores da escola estadual Sylvia Ribeiro de Carvalho, por conta de furto da fiação da unidade escolar, terão que votar para a Emei Bem-Te-Vi.

Apuração e resultado

Os responsáveis pelos cartórios eleitorais acreditam que, por volta das 19h30, Marília já conhecerá os eleitos para o Executivo e Legislativo. Porém, a transmissão de dados para a Justiça Eleitoral deve acontecer até as 22h.

 

 Fotos: Edio Junior