Município reabastece a rede com azitromicina

Estoque adquirido em abril acabou nos últimos dias. Antibiótico é usado no tratamento de pacientes com Coronavírus

Foto: Divulgação

 

O Município comprou 30 mil unidades de azitromicina, com entrega prevista na próxima terça-feira (17). O antibiótico pertence ao protocolo de Covid-19 e é utilizado ainda no tratamento de outras patologias. Houve um desabastecimento recente na rede básica por falta do medicamento no mercado.

A última compra de azitromicina pela Secretaria Municipal da Saúde foi efetuada em março, com entrega em 13 de abril. Antecipando o fim do estoque na rede, a pasta tentou nova aquisição em 30 de abril e em 24 de agosto.

No entanto, o fornecedor (Soma/SP) informou a impossibilidade de aquisição e fornecimento à Marília. No dia 19 de outubro houve nova tentativa de compra da Prati-Donaduzzi, mas novamente, após o empenho, a empresa informou a mesma impossibilidade.

O secretário municipal da Saúde, Cássio Luiz Pinto Junior, observou que, mesmo com dispensa de licitação, houve cotação dos preços. Porém, desta vez a pasta foi obrigada a adquirir o medicamento de marca pela falta do genérico entre os fornecedores.

O Município adquiriu 30 mil unidades do medicamento, a R$ 4,50 cada, num investimento de R$ 135 mil reais. A compra foi feita da distribuidora Servimed.

“A escassez da azitromicina tem sido um problema também em outras cidades. Marília ainda tinha o medicamento na rede, mas houve uma falta pontual nos últimos dois ou três dias em função dessa dificuldade de compra”, considerou o gestor municipal de Saúde.

O protocolo não impositivo, dependendo da avaliação médica, adotado pela rede de saúde de Marília para tratamento de Covid (casos confirmados e suspeitos) inclui a azitromicina, além hidroxocloroquina (doenças reumatológicas) e enoxaparina (anticoagulante).