Asilo registra segundo surto de Covid

Lar São Vicente de Paulo perdeu três moradores para o Coronavírus e agora tem mais nove casos da doença

Foto: Edio Junior

O Lar São Vicente de Paulo registrou novo surto de Covid-19. O primeiro foi entre final de junho e início de julho, quando três idosos morreram por conta da pandemia. Dessa vez, os nove casos são assintomáticos e foram identificados por conta de rotina de inquérito epidemiológico cumprida em todos os asilos de Marília.

Os exames de Coronavírus deram positivo em cinco moradores e em quatro funcionários do Lar São Vicente de Paulo, todos feitos pelo método RT-PCR (por raspagem de nasofaringe).

Todos os pacientes estão assintomáticos e isolados, sendo monitorados. Os funcionários contaminados foram afastados das atividades e os idosos estão em área específica distante dos demais moradores.

A Vigilância Epidemiológica Municipal orientou o asilo a manter os cuidados sanitários e a vigilância dos parâmetros de saúde dos moradores durante 24h por dia.

“A Secretaria da Saúde de Marília reitera a importância do cumprimento das determinações e orientações das autoridades sanitárias”, frisou a pasta.

O Lar São Vicente de Paulo de Marília soma três mortes por Coronavírus. O primeiro idoso veio a óbito na Santa Casa no dia 23 de junho e no dia 7 de julho a Secretaria da Saúde confirmou que mais duas moradoras morreram por Covid.

A primeira morte no asilo foi de um idoso de 81 anos, internado na Santa Casa por conta de uma infecção urinária. Ele era portador de doenças crônicas e faleceu 11 dias após a hospitalização, com diagnóstico positivo para Covid-19.

As outras duas mortes foram de mulheres, de 75 e 76 anos de idade. Ambas estavam na Santa Casa de Misericórdia.

A moradora de 75 anos morreu após 12 dias de internação. Ela era portadora de diabetes, hipertensão arterial e doença cardiovascular crônica. Os sintomas começaram no dia 17 de junho o resultado positivo para Covid-19 (PCR) saiu no dia 27 de junho.

A idosa de 76 anos começou a se sentir mal no dia 19 de junho e foi internada no dia 5 de julho, vindo a óbito dois dias depois. Ela era acamada com múltiplas sequelas e epilepsia e foi diagnosticada com Covid-19 no dia 23 de junho.