44ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo começou ontem em streamings e drive-ins

A 44ª edição da Mostra Internacional de Cinema em São Paulo começou ontem e vai até 4 de novembro com 198 filmes na programação.

A 44ª edição da Mostra Internacional de Cinema em São Paulo começou ontem e vai até 4 de novembro com 198 filmes na programação.

Neste ano, a maior parte dos filmes será exibida on-line devido à pandemia de Covid-19. Eles vão estar disponíveis em três plataformas: a Mostra Play, o Sesc Digital e a Spcine Play. Alguns filmes serão gratuitos. Outros custarão R$ 6. O evento também levará sessões para dois cinemas drive-in na capital: o Belas Artes drive-in e o CineSesc Drive-in.

O mexicano "Nova ordem" abriu o evento. Vencedor do Grande Prêmio do Júri no Festival de Veneza, ele narra protestos e um golpe de estado na Cidade do México por meio da história de uma família rica e seus empregados.

Brasileiros

"Cidade pássaro", coprodução entre Brasil e França, é um dos destaques entre os 30 filmes nacionais na programação. Dirigido por Matias Mariani, ele foi selecionado para a mostra Panorama no Festival de Berlim e acompanha a história de um músico nigeriano que vai a São Paulo em busca do irmão mais velho. O filme foi recebido com aplausos no festival.

"Todos os mortos", de Caetano Gotardo e Marcos Dutra, conta a história de uma família em declínio no fim do século 19, narrada por três mulheres. O longa, que concorreu ao Urso de Ouro, expõe o racismo estrutural brasileiro.

"Verlust", filme de Esmir Filho com Andréa Beltrão e a cantora Marina Lima, acompanha uma poderosa empresária que prepara uma festa em uma praia isolada. Em crise no casamento e com a filha, a personagem de Andréa administra a carreira de uma pop star complicada. "Quando uma criatura estranha surge do fundo do mar, a crise se instaura", diz a sinopse de divulgação.

Premiados

Há uma grade seleção de filmes premiados em festivais internacionais na mostra deste ano. Um dos principais destaques é o iraniano "Não há mal algum", vencedor do Urso de Ouro no Festival de Berlim, em fevereiro.

É um filme sobre liberdade individual em um país governado por um regime autoritário e que exerce a pena de morte. Ao fazer esse longa, o diretor Mohammad Rasoulof driblou uma proibição de filmar imposta contra ele.

Outro filme que merece atenção é "Shirley", terror biográfico com Elizabeth Moss e Logan Lerman inspirado na escritora de terror e mistério Shirley Jackson. Na história, ela sofre uma crise de inspiração para seu novo livro quando o marido recebe um casal de universitários para hospedar. "Shirley" ganhou o Prêmio Especial do Júri de drama norte-americano do Festival de Sundance.