Padre Gilmar é localizado e está bem; ele foi pároco em Marília

Religioso estava desaparecido há três dias e foi localizado pela Polícia; ele está em João Pessoa há nove meses

O padre José Gilmar Moreira, 46 anos, desaparecido por três dias no litoral Sul da Paraíba, foi encontrado na sexta-feira e está bem de saúde. O fato gerou comoção e pedido de orações  da comunidade católica  nas redes sociais, inclusive em Marília. Padre Gilmar é religioso da ordem São Vicente de Paulo, está em João Pessoa há nove meses e  foi pároco na Paróquia Santa Isabel, em Marília.

Segundo a Polícia da cidade de Conde, na Paraíba, o padre foi encontrado consciente, porém debilitado. Ele estava caminhando pelas ruas nas proximidades de Jacumã, quando a polícia ia até o local onde o carro do padre José Gilmar foi encontrado. Os policiais reconheceram o rosto dele, que estava a pé, às margens da estrada. No dia que desapareceu, o padre enviou uma mensagem a um amigo pedindo socorro.

Em entrevista ao portal G1, o  delegado que atendeu o caso, Luciano Mendonça,  disse que  padre Gilmar  estava com desidratação, mas sem sinais de violência física aparente. O padre disse aos policiais que foi confundido com um motorista de aplicativo e rendido. Ele afirmou que foi levado para um cativeiro em área de mata fechada, estava amarrado e recebeu ameaças para transferir dinheiro aos criminosos. Conforme o padre,  pelo menos três pessoas estavam com ele no cativeiro.

"[O pessoal que o encontrou] disse que ele tava um pouco desorientado, é tanto que a gente passou por ele, eu e um agente da Polícia Civil e ele não deu sinal pra gente. A gente vinha com o giroflex ligado, com as viaturas caracterizadas, e o padre em nenhum momento acenou pra nós. Ele só foi localizado porque em outra viatura havia uma pessoa que trabalhava com ele na paróquia e o reconheceu".

Quem reconheceu o padre foi o amigo dele Agenor Lima Rocha, que estava indo com a polícia também para a localização do carro, pois estava levando a chave reserva. Após ser resgatado, o padre foi levado para a Central de Polícia, em João Pessoa, onde prestou esclarecimentos e recebeu atendimento médico. Agenor disse que o reconheceu de longe e quando falou com o padre, ele o abraçou e chorou. Em uma mensagem de vídeo, o padre Gilmar agradeceu as orações de todos e a Deus por sua vida. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios de João Pessoa.