HC retoma as consultas presenciais E os exames e cirurgias agendados

A instituição adequa a rotina ambulatorial a partir dessa segunda-feira (19)

 

Foto: Edio Junior

O HC/Famema, autarquia de saúde da instituição, retoma as consultas presenciais a partir de segunda-feira (19). E, junto, os exames e cirurgias agendados (que não se encaixam em urgência e emergência). A instituição adequa a rotina ambulatorial ao “novo normal”.

A medida altera as resoluções que suspenderam parcialmente essas atividades desde 17 de março por conta do enfrentamento à pandemia de Covid-19. Na ocasião foram preservados os pacientes oncológicos, em pós-operatório ou emergenciais, além do foco no atendimento separado aos pacientes com suspeita e/ou confirmação de Coronavírus.

Porém, sete meses após Marília ser atingida pela pandemia, o HC avança para a segunda fase de retomada do atendimento assistencial eletivo presencial para pacientes já agendados.

A primeira fase começou em junho, quando a assistência eletiva começou a ser resgatada de forma remota, por telemedicina, através do aplicativo de celular “HC/Famema Tá Na Mão”.

“Foram quase mil pacientes atendidos por videochamada para identificação das necessidades e inclusive verificação da necessidade do atendimento presencial”, disse a diretora técnica do Departamento de Atenção à Saúde Ambulatorial e Hospital Dia, Vanessa Dinarte.

Até setembro foram requisitados cerca de cinco mil exames, de raio-x à ressonância magnética, nesta retomada dos tratamentos. A telemedicina atendeu pacientes de 12 especialidades médicas.

Os pacientes serão informados da retomada dos atendimentos por meio do DRS IX (Departamento Regional de Saúde de Marília) e pelas Secretarias Municipais de Saúde. A instituição atende a população de 62 cidades (Marília e região).

O fluxo de atendimento estará dentro do Plano de Contingência HC/Famema para Infecção Humana pelo Coronavírus. Segundo Vanessa Dinarte, haverá regras rígidas de acesso ao hospital, como aferição de temperatura, uso de máscara, distanciamento mínimo, restrição para acesso a acompanhante e demarcação de lugares (quatro pessoas por 100m²).

Pacientes da Pediatria, idosos ou pacientes com necessidades especiais poderão ter um único acompanhante. Os atendimentos remotos continuam e, segundo a diretora ambulatorial, devem ser ampliados.