No Dia do Pão, nutricionista de Marília esclarece se ele é o vilão

A profissional Carolina Gennari afirma que não. Mas é possível aprender a fazer escolhas, já que esse alimento tão presente no cotidiano se apresenta em incontáveis variações

Foto: Divulgação

No Dia Mundial da Alimentação (16 de outubro) a nutricionista de Marília, Carolina Ferracini Gennari, responde à pergunta que ecoa quando o assunto é manter a saúde ou o peso. O pão é o vilão? A profissional afirma que não. Mas é possível aprender a fazer escolhas, já que esse alimento tão presente no cotidiano se apresenta em incontáveis variações.

No dia 16 de outubro, Dia Mundial da Alimentação, também é celebrado o Dia do Pão. A data foi instituída no ano 2000 pela União dos Padeiros e Confeiteiros, em Nova Iorque, sendo adotada em vários países, como o Brasil.

Mas se o “Pão” tem um dia para chamar de seu, todo dia é dia de pão na mesa brasileira, apesar dos conflitos em torno desse alimento, como amigo ou vilão quando o assunto é saúde ou manutenção do peso.

A nutricionista de Marília, Carolina Ferracini Gennari, esclarece que “o pão definitivamente não é o vilão”. Ela frisa que o carboidrato é a principal fonte energética.

“O que precisamos entender é que a farinha refinada é um carboidrato de alto índice glicêmico. Ou seja, ao ingerirmos o pão, ele será rapidamente digerido e absorvido na forma de glicose tendo um aumento do nível glicêmico em corrente sanguínea, o que favorece o desenvolvimento de algumas doenças como Diabetes e obesidade”.

A profissional recomenda equilíbrio e boas escolhas. “Na escolha do “melhor” pão para se comer, compreendemos então que, este será o integral, pois ele é rico em fibras, além de outros nutrientes que exercem papeis importantes como vitaminas, proteína e minerais”.

Segundo Carolina Gennari, a fibra tem como um dos papeis fundamentais reduzir a absorção de carboidratos e gorduras, além de ser um carboidrato de baixo índice glicêmico, ou seja, que será digerido e absorvido lentamente, proporcionando um esvaziamento gástrico mais lento. Sendo assim, haverá saciedade por maior tempo e o aumento gradual de glicose no sangue (e não abrupto).

Que pão comprar

Mesmo com o esclarecimento sobre as vantagens nutricionais do pão integral, as opções são muitas e os preços também. A nutricionista recomenda que os consumidores se habituem a ler os rótulos dos alimentos. “Muitos pães, apesar de se apresentarem como integrais, têm como ingrediente principal a farinha de trigo refinada”.

A dica é que entre os ingredientes mencionados no rótulo, não deve constar a farinha de trigo refinada enriquecida com ferro e ácido fólico e sim apenas farinhas integrais que devem ser o primeiro ingrediente da lista informada nos rótulos. “Precisamos ressaltar a importância de evitarmos os pães ultra processados, que ficam nas prateleiras dos supermercados e panificadoras. É preciso dar preferência aos pães caseiros, francês, etc”.

A nutricionista conclui que a ingestão de pães, além de fazer parte do hábito alimentar do brasileiro, é fundamental para fornecimento de nutrientes essenciais, bastando ingeri-los de forma moderada e, de preferência, fazendo boas escolhas.