Moradores denunciam abandono e égua morre em chácara sem assistência

Ligações para Polícia Ambiental foram feitas pela manhã e à tarde e informação foi que havia muitas ocorrências

 

Por Izabel Dias 

Denúncia recebida ontem à tarde pelo Jornal da Manhã, constatou a dificuldade e a burocracia para prestar atendimento de emergência a um animal. Um morador informou a situação de abandono de cavalos em uma chácara localizada no distrito de Padre Nóbrega.  Caída no chão, uma égua agonizava na propriedade. O morador que fez a denúncia disse ter ligado para Polícia Ambiental às 9h30.  No final da tarde a égua morreu.

A reportagem do Jornal da Manhã também ligou para Polícia Ambiental por volta de 15h15 para relatar a denúncia e recebeu a informação de que as equipes tinham 17 ocorrências para atender  e não seria possível ir até o local.

A reportagem foi até a propriedade em Padre Nóbrega e constatou que a égua estava agonizando no chão. Conforme o morador que fez a denúncia, há várias semanas os animais ficam na chácara sem água e sem alimento.

A reportagem do Jornal da Manhã então entrou em contato com a Zamgrossi, empresa contratada pela Prefeitura para fazer o resgate de animais. Prontamente a veterinária da empresa  prestou orientações e encaminhou a viatura para o resgate do animal, mas seria necessária a presença da Polícia Militar ou Polícia Ambiental, já que se trata de uma propriedade particular.

Era pouco antes das 17h e a Polícia Militar informou que estava havendo troca de turno das equipes e iria demorar para encaminhar a viatura. Ás 18h49 a Polícia Militar retornou a ligação informando se ainda necessitava de viatura no local. Mas não havia mais tempo.

A equipe da Zamgrossi estava no local e a veterinária conseguiu  contato com o dono dos animais. Ele tentou acionar veterinários para atender a égua mas não houve tempo e ela morreu.  O proprietário explicou que a égua estava prenhe e havia abortado. A demora em receber atendimento acabou provocando a morte do animal.