Mercedes-Benz apresenta caminhão a hidrogênio que estará nas ruas em 2023

A Mercedes-Benz apresentou na última quarta-feira (16) seu primeiro conceito de caminhão movido a hidrogênio.

A Mercedes-Benz apresentou na última quarta-feira (16) seu primeiro conceito de caminhão movido a hidrogênio.

O GenH2 Truck promete autonomia superior a 1.000 km, e deve ganhar as ruas em 2023, na fase de testes com clientes.

A comercialização na Europa, Japão e Estados Unidos está prevista para a segunda metade da década. Até lá, a empresa promete que fará testes exaustivos para comprovar sua viabilidade.

A Mercedes disse que vai oferecer somente veículos comerciais novos livres de emissões de CO2 nesses mercados até 2039. O Brasil, pelo menos por enquanto, está fora dos planos nessa primeira etapa.

O GenH2 utiliza dois tanques para armazenar um total de 80 kg de hidrogênio líquido. Eles ficam dispostos nas laterais do chassi, como em um similar a diesel.

Segundo a Mercedes, a escolha pelo combustível em estado líquido se deu porque ele possui maior carga energética do que na forma gasosa, além de exigir uma menor área para ser armazenado.

Para mover o GenH2, que tem peso bruto total de 40 toneladas e capacidade de transportar até 25 toneladas de carga, serão usados dois motores elétricos, capazes de gerar, cada um, 312 cavalos e 160,8 kgfm. Se necessário, os propulsores ainda podem entregar picos de 450 cv e 211,2 kgfm.

Corrida pelo hidrogênio

Caminhões a hidrogênio são mais uma alternativa aos similares a diesel, que são mais poluentes, e começam a ter a circulação restrita em grandes centros urbanos, principalmente nos países mais desenvolvidos.

“O hidrogênio pode ser a alternativa ao diesel. Ele é adequado para grandes distâncias em carros, e também em caminhões, ônibus, trens. E estamos desenvolvendo também motores navais e na aviação”, afirmou Andreas Scheuer, Ministro do Transporte e Infraestrutura Digital da Alemanha, presente no evento, que aconteceu em Berlim.

Nessa corrida pelo hidrogênio, Mercedes e Volvo, concorrentes diretas, se uniram há cerca de seis meses para desenvolver a tecnologia, ganhar maior escala de produção, e, assim, reduzir os custos.

Além de Mercedes e Volvo, a Bosch, grande fornecedora de peças para a indústria está desenvolvendo sua célula de combustível a hidrogênio.

Outras alternativas

Além do caminhão movido a hidrogênio, a Mercedes também apresentou um novo modelo elétrico. A segunda versão do eActros será lançada em 2024. Ao contrário da primeira configuração, que chega ao mercado no ano que vem e tem vocação urbana, o modelo mais recente foi pensado para transportes de longo alcance. Por isso, tem autonomia de 500 km.