Bispo celebra missa Exaltação da Santa Cruz na catedral São Bento

Celebrações estão acontecendo com número reduzido de fiéis e respeitando o distanciamento

 

O bispo diocesano de Marília, Dom Luis Antonio Cipolini, presidiu na segunda-feira a missa de Exaltação da Santa Cruz, na Catedral Basílica São Bento. As celebrações presenciais estão acontecendo com limite no número de fiéis, mantendo distanciamento e seguindo os protocolos de saúde para prevenção do coronavírus.

Para Dom Luis Cipolilni, a retomada das missas presenciais é uma alegria para todos. “É uma grande alegria o retorno das celebrações litúrgicas presenciais, da missa e também dos outros sacramentos. É uma alegria ver nosso povo novamente dentro das igrejas”, disse.

O bispo afirmou que foram realizadas reuniões online com o conselho de presbíteros, que reúne padres das três regiões pastorais e percebeu a alegria do retorno às celebrações e também ficou satisfeito em notar o cuidado dos católicos com as medidas de prevenção a covid-19.

“Temos observado em Marilia e em toda diocese um retorno às celebrações sem o descuido das medidas necessárias à preservação da saúde. Novamente ver o rosto dos fieis, rezar juntos, louvar a Deus, mas também o cuidado que todos estão tendo com as medidas de prevenção a covid-19”, afirmou.

Segundo o bispo, os batismos estão sendo retomados observando todas as regras de distanciamento. “Queremos dar passos pequenos e que não coloquem em risco a vida de nenhuma pessoa, porque a vida é um presente de Deus que precisa ser preservada. Por isso estamos retornando com alguma cautela”.

Sobre a missa de Exaltação da Santa Cruz, o bispo disse que é um momento importante para refletir e buscar sair da crise da melhor forma. “Nós estamos num momento particular da história, um momento de pandemia. E em todos os momentos de crise podemos sair melhores ou piores. Aquele povo de Deus no deserto, muitos deles não entenderam a mensagem e saíram piores. Mas muitos como Josué e um grande grupo de pessoas  entenderam e saíram melhores”.

O bispo afirma que o momento vivido no Brasil e no mundo com a pandemia da Covid-19 pode servir para que sejamos melhores enquanto humanidade. “Vamos pedir a graça de Deus de sairmos melhores dessa crise. E como? Tenho certeza que sairemos melhores à medida da nossa confiança em Deus e a medida da nossa solidariedade com aqueles que estão sofrendo. Vamos pedir a Deus para que  possamos sair desta crise renovados. Não para um novo normal, porque o novo remete ao antigo,  mas para um outro normal. Queremos um outro normal, com mais fé, mais amor e sobretudo com mais solidariedade e fraternidade”, disse o bispo.