"Nomadland" vence principal prêmio do Festival de Veneza

"Nomadland", da diretora chinesa Chloe Zhao, venceu o Leão de Ouro, principal prêmio do Festival de Veneza. O filme era um dos favoritos ao prêmio e é um dos fortes candidatos ao Oscar.

"Nomadland", da diretora chinesa Chloe Zhao, venceu o Leão de Ouro, principal prêmio do Festival de Veneza. O filme era um dos favoritos ao prêmio e é um dos fortes candidatos ao Oscar.

A obra mostra uma comunidade de moradores de trailers que atravessa o oeste dos Estados Unidos e tem Frances McDormand como uma viúva, em seus 60 anos, que transforma sua van em uma moradia móvel e pega a estrada - buscando empregos sazonais ao longo do caminho.

O júri do Festival de Veneza, presidido pela atriz australiana Cate Blanchett, premiou também o mexicano Michel Franco, que conquistou o Leão de Prata - Grande Prêmio do Júri, por "Nuevo Orden", uma metáfora do México e do mundo moderno, afetado por diferenças sociais, racismo e desigualdades.

"Comecei este filme há cinco anos e não fazia ideia de que esta distopia que imaginava estivesse tão próxima da realidade, com as manifestações em Chile, Colômbia, Hong Kong e o movimento Black Lives Matter", comentou Franco, 41, ao receber o prêmio em Veneza. "Não quero ser pessimista. Fiz este filme para que as coisas mudem. Temos que acreditar no futuro."

O ator italiano Pierfrancesco Favino foi premiado por "Padrenostro", de Claudio Noce, história ambientada durante os chamados "anos de chumbo" na Itália.

O primeiro festival realizado durante o coronavírus não registrou nenhum contágio e terminou com um balanço positivo. Sem os astros de Hollywood e os caçadores de selfies no tapete vermelho, o evento foi realizado em condições particulares, seguindo medidas sanitárias rigorosas, sem filas ou aglomerações e com os convidados respeitando o distanciamento social.

 

Principais prêmios da 77ª edição

do Festival de cinema de Veneza

Leão de Ouro de melhor filme: "Nomadland", de Chloe Zhao (Estados Unidos);

Grande Prêmio do Júri: "Nuevo Orden", de Michel Franco (México);

Leão de Prata de melhor diretor: o japonês Kiyoshi Kurosawa, por "Wife of a Spy";

Melhor roteiro: o indiano Chaitanya Tamhane, roteirista e diretor de "The Disciple";

Prêmio especial do júri: "Dear Comrades", de Andreï Konchalovski (Rússia);

Melhor atriz: a britânica Vanessa Kirby, por "Pieces of a Woman", de Kornel Mundruczo;

Melhor ator: o italiano Pierfrancesco Favino, por "Padrenostro", de Claudio Noce (Itália);

Prêmio Marcello Mastroianni de melhor intérprete jovem: o iraniano Rouhollah Zamani, protagonista de "Khorshid", de Majid Majidi.