MP abre inquérito civil para apurar conduta da tenente coronel Cristal

Abertura de procedimento atende representação feita pela Matra (Marília Transparente)

Por Matheus Brito / Foto: Divulgação

 

O Ministério Público (MP) acatou representação da Matra (Marília Transparente) e abriu inquérito civil para apurar a conduta da tenente coronel Márcia Cristina Cristal Gomes no incidente envolvendo tráfico de influência na tentativa de impedir a recolha do veículo pertencente a família da vereadora Professora Daniela (PL).

Na representação, a Matra afirma a necessidade de apuração dos fatos, pois além da vereadora também envolve outros dois servidores públicos (Cristal e o sargento Allan Fabrício).

“Os fatos noticiados, mormente a divulgação de um áudio da conversa telefônica havida entre a comandante e o policial militar responsável pela autuação, se verdadeiros (daí a necessidade de apuração), tendem a revelar uma indevida intervenção em legítimo procedimento funcional com possível ofensa aos princípios da legalidade, impessoalidade e moralidade administrativa por parte da funcionária pública superior hierárquica do agente de trânsito” disse.

O promotor Oriel da Rocha Queiroz abriu inquérito civil e ainda determinou que o 9º Batalhão da Polícia Militar do Interior (BPMI) envie ao MP cópias digitais do boletim da apreensão do veículo e de todo procedimento instaurado para averiguar a regularidade da apreensão, além de informar quais providências foram adotadas para apurar os fatos.

“Em áudio amplamente divulgação pela mídia local e regional, consta que a ilustre Comandante teria se dirigido ao seu subordinado, dentre outras, com as seguintes expressões ‘Porque isso daí é falta de bom senso, tá? Ela é vereadora. É, é, a condição, você pode muito bem estar fazendo e orientando, tá? E aí segunda-feira, ela pegaria o documento e não precisa apreender o veículo’; ‘Se for desse jeito é o que eu to falando, você não vai estar mais segunda-feira no trânsito (…) porque essa aqui é uma ordem minha, você vai responder também’; ‘Olha o que você tá causando, porque politicamente ela é vereadora. Não teve nem uma conversa, o que você está achando que você é?”, disse o promotor.

Caso – A polêmica envolvendo a tenente coronel ocorreu no último dia 16.  Numa abordagem na avenida Cascata, na zona Leste de Marília, ao veículo Ford Fusion conduzido pela filha da vereadora o policial militar constatou a falta de licenciamento e os dois pneus dianteiros em más condições.

A vereadora entrou em contato com a tenente coronel que tentou intervir na recolha do veículo, que já havia sido removido de guincho para o pátio. Por esse motivo a comandante do 9º BPMI afirmou em áudio obtido pela reportagem do Jornal da Manhã, que o sargento Allan Fabrício seria retirado do policiamento de trânsito.

“Alan, se for desse jeito, é o que eu estou falando, você não vai estar mais segunda-feira no trânsito. Porque você está descumprindo uma ordem minha e você vai responder também. É isso que você quer?”, ameaçou a tenente coronel.

Na conversa com o policial militar, a tenente coronel ainda reforçou que o fato recebia intervenção por envolver a filha de uma vereadora. “Olha o que você está causando. Politicamente, ele é uma vereadora, e não teve nenhuma conversa. Quem você está achando que você é?, questionou Cristal.