Diocese de Marília determina volta de celebrações com os fiéis no dia 22

As orientações têm validade para as 65 paróquias das 37 cidades que compõem o território diocesano

 

O bispo diocesano de Marília, Dom Luiz Antonio Cipolini, divulgou ontem decreto  determinando que as celebrações da Igreja Católica com a presença do público serão retomadas no próximo dia 22. As orientações têm validade para as 65 paróquias das 37 cidades que compõem o território diocesano.  Ontem o prefeito Daniel Alonso publicou decreto autorizando a volta dos cultos religiosos a partir de hoje com no máximo 40% da capacidade do local.

As paróquias deverão seguir todas as normas de prevenção a pandemia da Covid-19. A diocese divulgou documento da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), com 79 itens de orientações que devem ser seguidas para volta das celebrações presenciais nas igrejas.

Dom Luiz Antonio Cipolini suspendeu as missas públicas, reuniões e encontros pastorais na diocese de Marília desde o dia 18 de março, com objetivo de conter a proliferação da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) e poupar a vida dos fiéis.

Ontem o decreto com as informações sobre a data da retomada foi divulgado por email às paróquias e publicado nas mídias oficiais da Diocese.  Conforme o bispo, a  retomada  respeita o protocolo de saúde de cada município, e também leva em consideração o texto com as Orientações Litúrgico-Pastorais para o retorno às atividades presenciais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), para evitar qualquer tipo de risco à vida dos fiéis e do clero.

“Continuam dispensados do preceito dominical os que estão no grupo de risco desta doença e também aqueles que, por situações particulares como de cuidado direto de idosos e doentes, tenham objeção de consciência para participar de celebrações públicas”, explica o bispo.

Dom Luiz pede aos padres que as transmissões das celebrações por meios digitais continuem “a fim de favorecer aqueles que ainda não podem ou não se sentem preparados para voltar às missas presenciais”.

O bispo de Marília indica que antes da retomada, os párocos e os administradores paroquiais dialoguem com os poderes públicos de cada cidade da Diocese “sobre as restrições e orientações locais para cada paróquia, seguindo as orientações dos respectivos órgãos de Vigilância Sanitária”. O Decreto ainda prevê que “continuam suspensas outras atividades pastorais que envolvam aglomerações de fiéis como reuniões e cursos de formação pastoral”.

O retorno ocorrerá somente no dia 22 de agosto, porém o Decreto foi publicado no último dia do mês de julho a fim de que os padres tenham tempo hábil para dialogar com as autoridades públicas de cada cidade sobre a retomada e também possam, com tranquilidade, planejar o volta das celebrações com as lideranças paroquiais, para que as igrejas estejam dotadas de todo preparo e segurança higiênicas possíveis.

As comunidades devem organizar equipes de acolhida que auxiliem os fieis no cumprimento das normas de proteção. Nos horários de celebrações as portas de entrada da igreja deverão estar abertas  para evitar que os fieis tenham que tocar as maçanetas. Os fieis devem higienizar as mãos com álcool gel e será obrigatório o uso de máscaras que só deverá ser retirada no momento da comunhão eucarística.