As regras do contágio em tempos de pandemia

Em um mundo cada vez mais interconectado, nossa vida é modelada por surtos - de doenças, de desinformação e mesmo de violência - que surgem, se disseminam e desaparecem em desconcertante velocidade.

 

Em um mundo cada vez mais interconectado, nossa vida é modelada por surtos - de doenças, de desinformação e mesmo de violência - que surgem, se disseminam e desaparecem em desconcertante velocidade.

Para entendê-los, é preciso compreender as leis ocultas que os governam, mas as explicações populares continuam a ser desmentidas pelas descobertas científicas e pesquisas revelam os mistérios do contágio, mostrando-nos como evitar explicações simplistas e soluções ineficazes.

Em 2020, a pandemia de coronavírus trouxe ao mundo uma das experiências mais desafiadoras dos últimos anos e, neste contexto, no livro As regras do contágio: Por que as coisas se disseminam - e por que param de se propagar (Editora Record, 336 páginas), Adam Kucharski investiga as múltiplas manifestações de contágio: por exemplo, o que há em comum na dinâmica das epidemias que aterrorizaram o mundo nos últimos tempos, incluindo a de Covid-19; como as inovações se disseminam através das redes sociais; as semelhanças entre os vírus de computador e as histórias populares; e por que as profecias mais úteis não são necessariamente aquelas que se provam verdadeiras.

Dos agentes “superdisseminadores” que podem gerar uma pandemia ou derrubar um sistema financeiro às dinâmicas sociais que fazem a solidão virar norma,

As regras do contágio oferecem reflexões importantes sobre o comportamento humano e mostram como podemos nos sair melhor ao prever o que está por vir.

O autor

Adam Kucharski vive em Londres, na Inglaterra - é professor associado e Sir Henry Dale Fellow (bolsista de pós-doutorado) na Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres, onde trabalha na análise matemática de surtos de doenças infecciosas. Seu primeiro livro, The Perfect Bet (A Aposta Perfeita), sobre o relacionamento entre ciência e apostas, foi publicado em 2016.