Lojas reabrem com horário ampliado; setor de bares reclama de indecisão

Foram autorizados a funcionar bares, restaurantes, salões de beleza, academias, clubes esportivos e pesqueiros

Por Izabel Dias 

 

O comércio de Marília iniciou ontem o funcionamento em horário ampliado e abertura de novos setores com flexibilização permitida por decreto municipal publicado no final de semana. Foram autorizados a funcionar bares, restaurantes, salões de beleza, academias, clubes esportivos e pesqueiros. O setor de bares e restaurantes porém, reclama da falta de regras específicas para o funcionamento.

Em razão de tantas mudanças e decisões judiciais que mudam os horários em Marília, alguns proprietários inclusive preferiram aguardar para iniciar o atendimento do restaurante ao público. Raphael Carvalho de Lima, dono do Restaurante Top D+  no centro da cidade, prefere aguardar e ontem manteve apenas o serviço de delivery.  

Ele já está com o salão preparado para receber os clientes para o almoço, com mesas dispostas mantendo distanciamento e álcool gel à disposição. “Vamos aguardar mais pra ver se essa autorização não vai ser derrubada pela Justiça. Decidimos esperar, um dia a gente abria no outro tinha que fechar”.

Raphael de Lima mantém o restaurante há cinco anos e disse que no início da pandemia foi difícil pois não havia clientes suficientes para atender somente no sistema delivery. Ele demitiu dois funcionários que espera recontratar assim que puder reabrir o restaurante ao público de forma definitiva. “Vamos voltar com promoção, estamos ansiosos e queremos recontratar os funcionários”, disse.

REGRAS

O presidente do SinHores (Sindicato dos Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares) de Marília, Sinval Gruppo, disse que o decreto municipal publicado no final de semana autorizando reabertura dos bares, não discrimina regras e horários, se é permitido música ao vivo, mesas nas calçadas, entre outros. “A lei é bastante genérica e muitas coisas não ficaram claras. Creio que um novo decreto deve ser editado”, disse.

SALÕES

Os salões de beleza também foram autorizados pelo município a reabrir desde ontem. José Roberto Ribeiro da Silva, proprietário de um salão com a esposa na avenida Sampaio Vidal, disse que o setor enfrenta bastante dificuldade desde o início da pandemia que fechou os estabelecimentos em março. “Adquirimos o salão há dois anos, temos boa clientela. Agora nos preparamos para voltar a atender, tudo dentro das normas, readaptamos o espaço, menos funcionários trabalhando, somente cliente agendado. Tivemos que renegociar o aluguel. A expectativa é que possamos funcionar sem que a Justiça mande fechar de novo”, disse.

MUDANÇAS PLANO SP

A Prefeitura de Marília vem mantendo uma ‘queda de braço’ com o Governo do Estado desde o início da quarentena, já que o prefeito Daniel Alonso (PSDB) não concorda que a cidade siga o Plano São Paulo nas medidas de flexibilização, que mantém regras mais restritivas para abertura do comércio em Marília.

Ontem porém o governador João Dória (PSDB) anunciou mudanças no Plano São Paulo para os critérios que irão definir as regras de flexibilização nos municípios. Uma delas é com relação a capacidade hospitalar que serão classificadas em fases: vermelha (acima de 80% de ocupação); laranja (entre 80% e 75%), amarela (entre 80% e 70%) e verde (abaixo de 75% ou 70% ).  Outros índices como internações e óbitos a cada 100 mil habitantes também deverão influenciar nas avalições.