Internações de idosos, mortos por Covid, ocorrem até 16 dias depois dos sintomas

Lar São Vicente de Paulo soma oito casos positivos de Coronavírus, com três óbitos

Foto: Edio Junior

As internações dos idosos do Lar São Vicente de Paulo, mortos pela Covid-19, ocorreram até 16 dias depois do início dos sintomas. Até o momento três moradores do asilo vieram a óbito e há oito casos confirmados dentro da entidade.

A moradora mais recente do asilo que veio a óbito com Covid ficou 16 dias com sintomas de Coronavírus, sem internação. Ela começou a apresentar os primeiros sinais da doença no dia 19 de junho e só foi hospitalizada no dia 5 de julho, morrendo dois dias depois, nessa terça-feira (7).

Ela tinha 76 anos e era acamada, com múltiplas sequelas e epilepsia. Seu diagnóstico positivo de Coronavírus saiu no dia 23 de junho. Mas mesmo com a confirmação da doença ainda aguardou mais 12 dias pela internação.

O primeiro idoso do Lar São Vicente de Paulo que morreu por Covid (81 anos) passou por atendimento de saúde no dia 4 de junho e só foi internado no dia 12, oito dias depois. Vindo a óbito no dia 23. Ela era portador de doenças crônicas.

Na segunda morte do asilo por Coronavírus, segunda-feira (6), a idosa (75 anos) teve o início dos sintomas no dia 17 de junho e também foi internada oito dias depois, no dia 25 de junho. Ela tinha diabetes, hipertensão arterial e doença cardiovascular crônica.

O Jornal da Manhã procurou o Lar São Vicente de Paulo, que não retornou o contato da equipe de reportagem. Nos três casos, as hospitalizações foram feitas na Santa Casa de Misericórdia.

A Prefeitura mencionou que todas as ações que cabem ao Município, via Vigilância Sanitária e Vigilância Epidemiológica, foram realizadas, nessa entidade e nos outros dois asilos, onde também foram aplicados os testes.