Campanha entrega mais 110 cestas. Faltam 174

Voluntários da Sociedade Mariliense contra Fome realizam a ação por causa da quarentena

Foto: Divulgação

A Sociedade Mariliense contra Fome, criada por causa da quarentena, conseguiu entregar 110 cestas básicas nesta semana. A meta é 284, número que equivale às famílias que ainda não tinham sido beneficiadas. A arrecadação continua.

Até a semana passada 2.851 famílias listadas junto a Sociedade Mariliense contra Fome já receberam suas cestas básicas. E faltavam 284. Outras 110 foram ajudadas com as últimas doações. Agora faltam 174.

Os voluntários têm parte dos alimentos para a montagem das cestas, mas precisa de doações para conseguir completá-las. Na planilha divulgada pela campanha, os alimentos mais distantes da meta, por enquanto, são arroz (-122); farinha de trigo (-138); açúcar (-134); óleo (-124); Fubá (-114); leite (-109); e molho de tomate (-104).

Outros itens também estão em falta: café, feijão, macarrão, sal e farinha de mandioca. Os únicos alimentos que não são necessários para a montagem das cestas são os biscoitos. E a campanha arrecadou também algumas guloseimas, incluídas na entrega.

A campanha também pede agasalhos, máscaras e roupas, principalmente para recém-nascidos e crianças, novos ou usados, em bom estado de conservação.

“As doações adicionais são levadas junto com as cestas básicas”, garantiu o coordenador da Sociedade Mariliense contra Fome, Tadaumi (Tadau) Tachibana. É o caso dos alimentos adicionais que incrementam as cestas.

As doações podem ser levadas até a sede do grupo, na rua Rio Grande do Sul, nº 234. Outra forma de ajudar é através de repasse financeiro para a compra dos alimentos.

Os depósitos podem ser feitos na conta corrente nº 01300-3 do Banco Itaú (341); agência nº 9175; CNPJ nº 13.819.356/0001-01. Por enquanto o cadastro de novas famílias está bloqueado.