Exército Brasileiro planeja lançar game gratuito de tiro para tentar melhorar imagem entre jovens

Com previsão de lançamento para 2021, jogo no estilo "CS:GO" e "Rainbow Six Siege" será on-line

O Exército Brasileiro planeja lançar um game de tiro em primeira pessoa online, nos moldes de títulos de sucesso como "CS:GO" e "Rainbow Six Siege", até 2021.

O projeto, chamado "Missão Verde-Oliva", foi divulgado em portaria do órgão no último dia 10 e tem como objetivos "criar impressões positivas sobre o Exército Brasileiro nas faixas etárias de 16 a 24 anos", "ampliar a integração do Exército à sociedade" e conscientizar da "importância dos assuntos de defesa do país".

O jogo para computadores será gratuito e o objetivo é ter 15 mil jogadores on-line e 3 milhões de downloads em até dois anos.

A proposta é que "Missão Verde-Oliva" tenha gráficos realistas - "de alta qualidade", como diz o documento - com a ação em primeira pessoa, em que o jogador vê a ação do ponto de vista do personagem.

O game terá um modo história para um jogador para jogar sozinho, e um modo on-line para jogar contra outros jogadores.

A história do game se passa em um Brasil do futuro, em 2025, "para evitar desdobramentos ligados ao atual contexto político" e o inimigo será um país invasor fictício.

O jogo ainda deverá respeitar as realidades e as características de armamentos, uniformes e a velocidade do deslocamento de tropas a pé ou em veículos militares do Exército Brasileiro.

Haverá a possibilidade de criação de personagens e os armamentos e uniformes que poderão ser usados serão os mesmos utilizados pelos militares brasileiros.

Para tentar evitar as costumeiras reclamações de jogadores que não cooperam durante partidas online, o Exército pretende criar um sistema de tribunal fictício, em que a pessoa será julgada e impedida de jogar por um determinado tempo como penalidade.

Entre as restrições do desenvolvimento, "Missão Verde-Oliva" não poderá mostrar muito sangue "para evitar a ideia de violência exagerada" e não mostrará confrontos em favelas.

Além disso, o game permite jogar apenas como militar e nunca contra outros jogadores.

O título terá apenas missões cooperativas online.

A portaria aponta risco de qualidade baixa do game e de recepção negativa pela sociedade é baixa, alegando que "o mercado de games no Brasil é consolidado".

Inspiração nos Estados Unidos

A iniciativa de um órgão de defesa lançar um game militar não é inédita.

O exército dos Estados Unidos lançou em 2002 "America's Army", que recebeu novas versões até 2013. "America's Army 5" está em desenvolvimento.

Além de ser um jogo on-line, o título também é usado para treinamento militar, além de informar e educar os cidadãos sobre as atividades das Forças Armadas do país.

"Missão Verde-Oliva", segundo a portaria, é inspirado no game norte-americano, que inclusive é citado como exemplo.

Pesquisa com jovens

A portaria do Exército cita uma pesquisa do Massachusetts Institute of Technology (MIT) de 2008, que apontou que 30% dos jovens entre 16 e 24 anos melhoraram sua percepção dos militares com "America's Army".

Embora seja um game gratuito, o Exército também está entrando em uma área onde os concorrentes são extremamente fortes. "Call of Duty: Modern Warfare", lançado no final de 2019, é o maior deles, embora seja pago, e também há jogos muito estabelecidos como "Overwatch", "CS:GO", "Rainbow Six Siege", para cita alguns.

Entre os jogos de tiro em primeira pessoa gratuitos, existe o sucesso recente "Valorant", da Riot Games, e "Fortnite" que é um jogo de tiro em terceira pessoa, em que o jogador visualiza o personagem, e que é o game mais jogado da atualidade: em outubro de 2018, o título registrou 8,3 milhões de jogadores online ao mesmo tempo.