DIG esclarece tentativa de homicídio contra grupo de jovens

Revólver calibre 38 usado na tentativa de homicídio foi encontrado escondido em imóvel no bairro Jânio Quadros

Por Matheus Brito / Foto: Divulgação

 

Um rapaz de 19 anos, identidade não divulgada, foi preso por policiais civis da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) acusado de tentativa e homicídio contra um grupo de jovens após um desentendimento no último dia 14 no Jardim Marajó, na zona Sul de Marília.

Segundo o delegado Valdir Tramontini, a motivação do crime foi um desentendimento durante a madrugada em uma rede de lanchonetes na avenida Tiradentes, no bairro Fragata, na região central.

Após a discussão, os dois grupos deixaram o local. O veículo das vítimas foi até um poste de combustíveis nas proximidades. O acusado retornou ao local com um comparsa na motocicleta e monitorou a saída do grupo de jovens.

O carro com quatro jovens foi acompanhado até a rua Azarias de Carvalho Leme, onde o garupa da motocicleta efetuou três disparos. “Por muita sorte as vítimas não foram baleadas, pois os tiros atingiram o parabrisa dianteiro e o vidro lateral esquerdo do carro”, disse o delegado.

A investigação da Polícia Civil identificou os cinco rapazes que se desentenderam com as vítimas na lanchonete. A arma usada no crime foi encontrada na residência de um deles na rua Edmundo da Silva Freire, no bairro Jânio Quadros, na zona Norte de Marília.

“Os investigadores localizaram na casa um o revólver calibre 38 utilizado no homicídio tentado e mais oito cartuchos íntegros, Foi apurado que o rapaz, estava somente guardando a arma e que não havia participado do crime”, disse.

O autor dos disparos foi encontrado pelos policiais civis em sua residência na rua Reniti Ota, também no Jânio Quadros. “Ele confessou o crime, mas alegou que não pretendia acertar as vítimas e que queria apenas assustá-las”, afirmou o delegado.

O rapaz que conduzia a motocicleta também foi detido e liberado após prestar depoimento. “Ele confessou ter conduzido o autor dos disparos até o local dos fatos, e o grau de sua real participação naqueles fatos está sendo apurada em inquérito policial”, finalizou Tramontini.

O autor dos disparos e o rapaz flagrado com o revólver foram indiciados pelo crime de guarda e posse ilegal de arma de fogo, e liberados após pagar fiança de R$ 1.050,00. A pena pode chegar até três anos de reclusão

O jovem ainda deve ser indiciado pela tentativa de homicídio e pode pegar uma pena de até 20 anos de prisão.