Editorial

 

                         Antifas x Força Nacional

 

A esquerda derrotada nas eleições de 2.018 não se conforma e, engasgada, faz de tudo para tumultuar cada vez mais a situação política no País, criando obstáculos para o governo do presidente Jair Bolsonaro. Sem voz potente para fazer ecoar os protestos no Congresso Nacional, grupetos de vândalos e terroristas se formam para manifestações de ruas, que eles preferem chamar de movimento em defesa da democracia.


Ora, quem faz baderna, cria problemas de ordem pública e enfrenta a polícia são terroristas que não entendem nada de democracia. O que eles querem mesmo é o fascismo, promovendo a chamada “revolução bolivariana”, já fracassada na América Latina.


No domingo passado os bandidos do grupo chamado Antifas (que tem como um dos líderes o ativista Guilherme Boulos, filiado ao PSol e que foi um dos candidatos derrotados por Bolsonaro em 2.018) promoveu a desordem e o enfrentamento com a Polícia Militar na capital paulista. Agora, o Antifas já faz o chamamento pelas redes sociais para nova manifestação “pela democracia” em Brasília neste domingo. Isso provocou reação do presidente Jair Bolsonaro que fez duras críticas ao movimento que convocou um protesto contra ele para o próximo fim de semana. Em sua live de quinta-feira (4), pediu que “os bons brasileiros”, o “pessoal de verde e amarelo”, não participassem dos atos. “Não é porque tem faixa escrito ‘democracia’ que vão defender a democracia. No meu ver, são terroristas. Domingo, o pessoal de verde amarelo, que acredita no Brasil, que trabalha, não compareça a esse movimento que esses marginais estão convocando”, disse, afirmando que se tratam de “marginais” e “idiotas que não servem para nada”.

O presidente Jair Bolsonaro quer jogar pesado contra os manifestantes que prometem sair às ruas de Brasília no domingo para um ato contra o governo. Ele já pediu ao Distrito Federal a permissão para usar a Força Nacional no protesto, previsto para ocorrer na Esplanada dos Ministérios.


No Palácio do Planalto, uma fonte comentou que relatórios produzidos pelo Gabinete de Segurança Institucional apontam que as manifestações de domingo podem resultar em depredações semelhantes às que ocorreram no governo Michel Temer, quando houve protesto contra a reforma da Previdência. Dessa forma, o Ministério da Justiça e Segurança Pública já está de sobreaviso, e vai deixar as tropas de prontidão para deslocamento. Se houver enfrentamento, o resultado poderá ser desastroso para os “comunistas” do Antifas que usam a democracia como pretexto para promover a baderna, o vandalismo e o terrorismo no País. E, como sempre acontece, vão se fazer de vítimas acusando o governo de fascista!