Prefeito Daniel destaca reserva técnica de 156 leitos e sustenta ‘justiça’ na reabertura do comércio

Roberto Cezar

Em entrevista ao Jornal da Manhã, o prefeito Daniel Alonso (PSDB) citou a reserva técnica existente de 156 leitos para atendimento Covid-19 no município e os números que colocam Marília na faixa 4 (verde) do Plano São Paulo, garantindo a flexibilização das medidas adotadas no período de pandemia e permitindo a reabertura da maioria do comércio, inclusive dos estabelecimentos de roupas, calçados, eletrodomésticos do centro da cidade, além de bares e restaurantes. Para se referir ao enfrentamento ao Coronavírus, o chefe do Executivo usou uma frase de efeito e disse que “quarentena não é vacina”.
“Não bastasse a nossa baixa taxa de ocupação de leitos de Enfermarias e de UTI (Unidades de Terapia Intensiva) existentes, o controle no número de casos de Coronavírus e a letalidade de apenas 1%, bem menor que a média do Brasil, que é de 8%, ainda temos estrutura para criar hospital de campanha, com mais 156 leitos nos nossos hospitais. Não poderia aceitar a injustiça de sermos classificados na faixa 2 (laranja), que restringiria sobremaneira as atividades comerciais do nosso município”, enfatizou o Daniel.
Ao comentar declaração do secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, à Record TV, de que a Prefeitura de Marília seria notificada a rever o decreto municipal que garantiu a abertura quase que total do comércio, o chefe do Executivo disse que não se trata de uma questão política. “Não temos problema político algum com o governador João Doria ou com o secretário Vinholi, pelo contrário. A questão é meramente técnica. Houve um erro que precisa ser reconhecido. Simples assim”.
Mesmo com números melhores que as regiões de Araraquara, Bauru e Presidente Prudente, o município de Marília ficou com mais restrições para reabrir o comércio, enquanto que o correto seria ter direito à liberação de mais estabelecimentos. “Os números estão no site da Fundação Seade. Todos têm acesso. Uma pena que isso tudo não foi revisto”.
O prefeito Daniel lembrou que as medidas protetivas continuam sendo exigidas através de decreto e em caso de mudança de panorama nos números de Covid-19 em Marília a reabertura do comércio pode ser revista. “Estamos acompanhando de perto o enfrentamento à pandemia no nosso município e não abrimos mão do controle sanitário, o distanciamento social, uso de máscaras, higienização das mãos e de superfícies”.
Aglomeração no centro da cidade
Diante da grande quantidade de pessoas que estiveram no centro da cidade – sobretudo na rua São Luiz - no primeiro dia de reabertura do comércio, na segunda-feira passada, o prefeito Daniel disse que é natural esta grande procura inicial, mas que ontem (3) já era possível constatar a redução no fluxo de pessoas. “Tinha muita gente precisando pagar contas nas lojas e também querendo comprar roupas de frio. Não queremos de forma nenhuma que haja aglomeração. Acreditamos que a tendência é que a partir de agora o movimento esteja controlado”.
“Os Pingos nos Is”
Daniel Alonso foi entrevistado no programa “Os Pingos nos Is”, da Rádio Jovem Pan nacional, no início de noite de ontem (3). A postura do prefeito de Marília de “peitar” o governador João Doria e garantir a abertura quase que total do comércio ganhou repercussão em todo o País. O chefe do Executivo Municipal expôs os números positivos da cidade no enfrentamento à pandemia de Covid-19 e comentou sobre a importância da retomada das atividades comerciais, desde que feita de forma responsável, com as devidas precauções e medidas de controle sanitário.