Bispo divulga orientações para o Corpus Christi

Igrejas ficarão abertas no dia 11 para que os fiéis possam rezar individualmente

O bispo diocesano de Marília, Dom Luiz Antonio Cipolini, divulgou circular com orientações sobre as celebrações do Corpus Christi, no próximo dia 11. O bispo informa que buscando maior proximidade com o povo de Deus e após consultas eletrônicas ao clero da cidade de Marília, decidiu tomar algumas medidas para celebrar conjuntamente a solenidade de Corpus Christi.

“Em conversa com o padre Marcos Roberto Cesário dos Santos, coordenador diocesano de Pastoral,  com Padre Maurício Pereira  Sevilha, vigário geral e com Padre Willians Roque de Brito, coordenador das paróquias de Marília, resolvemos estender a mesma proposta para todas as paróquias da diocese”, disse.

Conforme o documento, o Conselho de Enfrentamento ao novo Coronavírus de Marília  também foi consultado no que se refere às manifestações públicas. O bispo aconselha fazer o mesmo às devidas autoridades de cada município.

O Tríduo de preparação para solenidade será nos dias 08, 09 e 10 de junho. O roteiro das celebrações indica a presença de Jesus Cristo por meio de Sua  palavra, da comunidade e da Eucaristia. Será enviado às paróquias interessadas por email pela equipe diocesana de liturgia, por meio do Centro Diocesano de Pastoral.

A solenidade do corpo e sangue de Cristo será no dia 11. O bispo orienta a manter as igrejas abertas, devidamente ventiladas e higienizadas o dia todo, para  que os fiéis possam rezar individualmente. Incentivar a doação de alimentos, que deverão ser deixados em locais apropriados na própria igreja para que as paróquias ajudem famílias carentes. Haverá celebração da missa conjunta pelo clero, onde houver mais de uma paróquia, se possível com transmissão ao vivo.

O bispo orienta manifestação pública de piedade e de fé com carreata com o Santíssimo Sacramento, pelas ruas da cidade, após a missa e bênção do santíssimo. “Não é aconselhável fazer coleta durante o trajeto para evitar aglomeração. Aconselha-se fazer apenas uma carreata em cada cidade”.

Distribuição dos alimentos partilhados pelos fiéis, de acordo com a necessidade das paróquias, nas cidades onde existem mais de uma paróquia. Faz parte do projeto de Deus não deixar nenhum de seus filhos e filhas passar fome.

“Não é fácil ficar longe da comunidade, muitas vezes fechados dentro de casa. Pensemos nas nossas responsabilidades atuais e no que virá. Qual será o nosso serviço de bispo, de padres, de religiosos, consagrados depois da pandemia? Esse depois já começa a revelar-se trágico e doloroso. É um momento de muita incerteza, mas também de criatividade e esperança.  Peçamos à Virgem Maria que interceda junto a Jesus Cristo pela nossa unidade e nos ajude a superar esta provação: ‘sob a vossa proteção buscamos refúgio, Santa Mãede Deus. Não deprezeis as nossas súplicas nas necessidades e livrai-nos de todo perigo ó Virgem Gloriosa e bendita!”, finaliza o bispo.