Filme brasileiro "A Vida Invisível" vence prêmio de público no Festival de Cinema do Panamá

O longa-metragem "A Vida Invisível de Eurídice Gusmão", do diretor brasileiro Karim Aïnouz, venceu o prêmio de público da 9ª edição do Festival Internacional de Cinema do Panamá, realizado virtualmente devido à pandemia do novo coronavírus.

O longa-metragem "A Vida Invisível de Eurídice Gusmão", do diretor brasileiro Karim Aïnouz, venceu o prêmio de público da 9ª edição do Festival Internacional de Cinema do Panamá, realizado virtualmente devido à pandemia do novo coronavírus.

O filme de Aïnouz foi o mais votado pelo público, que teve que assistir às projeções através de uma plataforma online, anunciou a organização do festival pelo Twitter.

Uma produção de 2019 entre o Brasil e a Alemanha, o filme protagonizado por Carol Duarte e Julia Stockler conta a história de duas irmãs que tentam se encontrar após sua separação no Brasil dos anos 1950.

Com o apoio da Amazon, que comprou os direitos de distribuição, o filme baseado em romance homônimo de Martha Batalha levou o prêmio "Um Certo Olhar" em Cannes e foi escolhido para tentar a vaga do Brasil no Oscar.

A mostra original com público e salas estava prevista de 26 de março a 1º de abril, mas foi cancelada devido às medidas decretadas para conter a pandemia.

O festival foi, então, celebrado virtualmente entre 22 e 26 de maio, com 13 produções de 16 países.

Além de "A Vida Invisível", participaram do festival "Sorry We Missed You", do inglês Ken Loach; "Araña", do chileno Andrés Wood; "Así habló el cambista", do uruguaio Federico Veiroj; e a produção coletiva centro-americana "Días de Luz", entre outros.