Ocupação hospitalar por Covid é de 8%

HC tem quatro leitos ocupados por Coronavírus: um paciente de Oriente em UTI e 3 em enfermaria, sendo dois de Marília e um de Garça

 

Foto: Arquivo JM

De acordo com dados informados ontem (22) pela Secretaria Municipal da Saúde, a ocupação hospitalar por Covid-19 é de 8%. Segundo a pasta, Marília soma 146 leitos reservados para a pandemia no momento. Nessa sexta-feira, 12 deles estavam ocupados por pacientes de Coronavírus, locais e da região.

Marília é referência regional em saúde, atendendo 62 municípios através dos seus hospitais. Na soma, as instituições disponibilizam 146 leitos para pacientes com suspeita ou confirmação de Coronavírus (separados em função do alto risco de contágio).

Desses leitos, 42 são de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e 104 são clínicos. Eles estão distribuídos entre HBU (Hospital Beneficente Unimar), Santa Casa de Misericórdia e Hospital das Clínicas (unidade I e II - Materno Infantil).

O secretário municipal da Saúde, Cássio Luiz Pinto Junior, informou nessa sexta (22), conforme boletins hospitalares, que havia quatro ocupações por Coronavírus em UTI e mais sete em enfermaria.

A taxa de ocupação estava em 7,5%, subindo para 8,2% com os últimos boletins hospitalares, que atualizaram os números, aumentando a soma de 11 para 12 leitos ocupados por suspeita ou confirmação de Covid.

Ainda assim, o percentual é considerado baixo. Dos 12 pacientes internados, metade é de Marília, que não tem nenhum caso confirmado internado, apenas suspeitos.

Dos seis suspeitos de Covid-19 de Marília internados, dois estão na enfermaria do Hospital das Clínicas. Do total de 12 leitos ocupados por suspeita ou diagnóstico positivo de Coronavírus, dois estão na Santa Casa, seis estão no HBU e quatro no HC.

Além de duas pessoas de Marília, a enfermaria do HC tem um morador de Garça, e a sua UTI tem uma pessoa de Oriente. O Hospital das Clínicas não tem pacientes confirmados de Covid internados. Já no Hospital da Unimar, dos seis leitos ocupados, um caso já é confirmadamente positivo. A Santa Casa não especificou.

“Nossa situação felizmente é relativamente tranquila. Mas é óbvio que os números vão subir. Temos que continuar trabalhando para que Marília tenha uma situação mais confortável e que nossa estrutura atenda a necessidade da cidade e regional, através dos nossos hospitais”, disse o secretário de Saúde.

“Que Marília não se torne vítima do próprio sucesso”

A Prefeitura reforçou que Marília está entre as lideranças do estado em baixa contaminação de Covid-19. No entanto, o chefe do Executivo voltou a pedir, nessa sexta-feira, em sua live no facebook, que “Marília não se torne vítima do próprio sucesso”.

Daniel Alonso destacou que “os cuidados precisam ser constantes e contínuos para alcançarmos um equilíbrio entre cuidar da vida e do trabalho”. “Todo nosso esforço é no sentido de oferecer garantias sanitárias, segurança, padronização de protocolos de proteção, estrutura médica e hospitalar compatível para que possamos ter as nossas atividades profissionais asseguradas”.

Atenção Primária

No pronunciamento via rede social dessa sexta-feira (22), o secretário municipal da Saúde informou que médicos da Atenção Primária (rede básica) serão inseridos no Comitê Municipal de Enfrentamento ao Coronavírus.

O comitê possui uma comissão médica. Cássio Luiz ressaltou que essa comissão tem um corpo médico de peso, com profissionais e autoridades das instituições hospitalares da cidade.

No entanto, a inclusão da Atenção Primária possibilita uma uniformização dos procedimentos desde a rede básica, o que vai acontecer a partir da próxima semana.