CVV Marília informa aumento de demanda após início da quarentena

Tempo de espera ficou maior e mais da metade dos usuários desabafam sobre o Coronavírus ou o isolamento social

Foto: Divulgação

O posto de Marília do CVV (Centro de Valorização da Vida) identificou, junto à central do serviço, um aumento no tempo de espera de nove para 20 minutos. Isso representa um maior volume de demanda e coincide com os meses de abril e maio, havendo uma relação provável com a pandemia.

Quando o usuário liga para o número 188, a central do CVV o encaminha para o posto onde há linha disponível. No Brasil, há 114 postos, com três mil voluntários que se revezam em plantões para um atendimento 24 horas.

Quando todas as linhas estão ocupadas, o usuário espera até que a primeira desocupe e esse tempo vinha sendo de nove minutos nos meses de janeiro a março deste ano.

Em abril a espera começou a aumentar e hoje chega a passar de 20 minutos, tendo essa se tornado a nova média de espera. A coordenadora do Posto CVV de Marília, Maria José Gonçalves de Oliveira, acredita na influência da pandemia e do isolamento social nesse aumento da procura pelo Centro de Valorização da Vida.

Até porque mais da metade das ligações recebidas pelo posto local, que podem ser de qualquer parte do país, tem relação com o Coronavírus. “Os atendimentos nesse período de quarentena tem girado em torno da questão do isolamento social e de como isso tem afetado o emocional das pessoas. Já atendi uma pessoa, inclusive que estava infectada, isolada em casa, vendo o CVV como uma alternativa”.

A coordenadora pede que as pessoas continuem procurando o serviço, apesar da espera, porque o trabalho é feito com muito empenho e dedicação. Em Marília os 50 voluntários, sendo 40 se revezando nos plantões e dez de apoio, integram a mantenedora Navimar (Núcleo de Apoio à Vida de Marília), criada em setembro de 2019, com um posto físico em uma sala da Rodoviária, cedida pela Prefeitura.   

“Realizamos uma escuta ativa, sem emitir conselhos ou fazer julgamentos, oferecendo apoio emocional”, disse a coordenadora local. Durante a quarentena, o CVV criou a modalidade Plantão Remoto para os voluntários que pertencem ao grupo de risco da Covid-19 poderem fazer o atendimento de suas casas, por meio de um aplicativo próprio.

A Navimar convida os maiores de 18 anos de qualquer profissão ou religião a se tornarem voluntários, disponibilizando quatro horas semanais ou quinzenais para esse trabalho.

É preciso um treinamento prévio, mas por conta do Coronavírus haverá um curso EaD (Ensino à Distância). Os interessados podem se dirigir ao posto físico do CVV na cidade, a partir das 19 horas.