Banco de Leite registra queda de 60% nas doações

Serviço comparou coleta com 2019. Atualmente, as mães voluntárias não chegam à metade do ideal para atender às UTIs neonatais

Foto: Divulgação

O Banco de Leite Humano de Marília vive uma retração nas doações de leite humano desde janeiro. E, com a pandemia, o isolamento social e o medo da transmissão elevaram o percentual negativo para 60% na comparação de abril com o mesmo período em 2019. Atualmente, as mães voluntárias não chegam à metade do ideal para atender às UTIs neonatais.

O percentual de queda começou em 34% em 2020 na comparação com janeiro de 2029. Aumentou para 44% em fevereiro e fechou em 39% no mês de março.

A situação, que já era preocupante, se agravou com a chegada da pandemia à cidade. Abril de 2020 teve 60% menos doações do que o mesmo mês de 2019.

A quantidade de leite entregue semanalmente oscila de mãe para mãe e toda doação é bem-vinda. Por conta da variação, o BLH trabalha com um número ideal de 120 mães doadoras, que possibilita atingir de 40 a 50 litros por semana.

“Marília é referência em UTI neonatal (Unidade de Terapia Intensiva) e não facilmente mães com bebês em UTI apresentam secreção láctea nos dez primeiros dias de vida da criança, o que é essencial à vida”, informou a enfermeira responsável pelo Banco de Leite Humano de Marília, Sandra Domingues.

As UTIs neonatais ficam na Santa Casa de Misericórdia, no HBU (Hospital Beneficente Unimar) e no HMI (Hospital Materno Infantil). A Maternidade Gota de Leite também eventualmente precisa de doação de leite humano.

O BLH faz a coleta semanal nas casas das doadoras e já tem normas de segurança rígidas por conta do leite materno que, posteriormente passa por todos os processos e testagens necessários à segurança do bebê receptor.

“Entendemos, com a queda de doações ainda maior após a pandemia, que as mães devem estar inseguras, e respeitamos. Mas reforçamos nossos cuidados de rotina e os cuidados adicionais tomados por conta da Covid-19. frisou a enfermeira.

As mães interessadas em colaborar têm um horário de agendamento sem aglomeração no Banco de Leite. Posteriormente, passa a receber o BLH em sua residência para a coleta semanal, sendo que a equipe utiliza equipamento de proteção e não entra mais nos domicílios por conta da pandemia.

“Se a doadora preferir, pode responder ao questionário de adesão por telefone”, mencionou a coordenadora do Banco de Leite Humano. Mesmo assim as desistências de doadoras têm sido diárias.

Número de doadoras está abaixo da metade do ideal

Com as desistências e dificuldade em conseguir novas mães voluntárias, as doadoras de leite humano, que deveriam ser 120 em Marília, são 50 atualmente.

O Banco de Leite Humano precisa aumentar essa participação e não alterou seu horário de funcionamento, sendo um serviço essencial. Da mesma forma os postos de coleta na região trabalham normalmente.

Em Marília, as coletas de leite materno nas casas das doadoras são divididas por região, atingindo a zona norte na segunda-feira, a zona sul na terça, a zona oeste na quarta-feira, a zona leste na quinta e os distritos na sexta-feira.

O BLH fica localizado na rua XV de Novembro, nº 50. O telefone é 3413-8696 e o horário de funcionamento é das 7h30 às 13h30.