Produtos da cesta básica tem alta de 8,12% em abril

Pesquisa do Procon mostra que de 39 produtos,36 apresentaram alta de preço

Pesquisa realizada pelo Núcleo de Inteligência e Pesquisas do Procon-SP, vinculado à Secretaria da Justiça e Cidadania, mostra que em abril o valor da cesta básica teve alta de 8,12%. Dos 39 produtos pesquisados, na variação mensal, 36 apresentaram alta e três diminuíram de preço.

O levantamento foi feito em convênio com o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e revela que o preço médio no dia 25 de março era R$ 798,10 e passou para R$ 862,87 em 30 de abril.

Conforme a consulta do Procon, 92% dos produtos pesquisados apresentaram alta de preço no período. O grupo de higiene pessoal foi o que apresentou maior variação, 11,09%: alimentação, 7,73% e limpeza, 9,68%. A variação no ano é de 10,04% , tendo como base dezembro de2019.

No mês de abril, os produtos que mais subiram foram: cebola (kg) 31,28%; papel Higiênico Fino Branco (com 4 unidades) 27,74%; feijão carioquinha (kg) 19,30%; batata (kg) 17,56%; sabão em barra (unidade) 17,27%. As maiores quedas foram registradas nos preços de frango resfriado inteiro (kg) -3,24%; açúcar refinado (5 kg) -1,04%; creme dental (tubo 90g) -0,75%.

Para os consumidores, a alta nos preços está sendo percebida todos os meses. A dona de casa mariliense Maria José das Dores da Silva, disse que os preços estão muito altos e ultimamente ficou difícil pesquisar. “Já estava caro e depois do isolamento por causa do vírus ficou tudo mais caro ainda. Não sei mais o que será de nós, está tudo pior”, lamentou.

O motorista José Paulo de Oliveira disse que a pandemia do coronavírus tornou os preços ainda mais altos. ‘Só a gasolina e o álcool baixaram um pouco, mas no supermercado tudo subiu e continua subindo. Tá difícil de encontrar oferta e a situação do trabalhador cada dia mais difícil”, disse.